Virou bagunça! Aluno de universidade pública tira a roupa durante aula e alega ‘estar fazendo arte’


Após a polêmica o Queermuseu (aquela exposição de ‘supostas’ obras de arte que o banco Santander patrocinou), um aluno da Universidade Federal de Goiás (UFG) decidiu transformar uma aula de arte em atentado ao pudor.

O caso aconteceu no dia 13/09 durante a aula de arte contemporânea na Faculdade de Artes Visuais (FAV).

Juliano Ribeiro Moraes, o professor, tratou o acontecimento como brincadeira e levou tudo ‘na esportiva’.

“Fazíamos um debate sobre Peter Thomas, o artista que fez a capa do disco Sgt. Pepper’s, dos Beatles. Ele (o aluno) me perguntou se eu considerava a tal capa como arte. Eu respondi que sim […] então ele me questionou se tudo pode ser considerado arte. Respondi que tudo depende do artista” contou o professor.

O aluno então saiu da sala, tirou a camiseta e a saia (sim … é isso mesmo que você leu … ele estava de saia … até aí tudo bem … problema do aluno) e retornou para sua cadeira pelado e com um chapéu.

Durante 20 minutos, ele permaneceu pelado na sala considerando que sua atitude era ‘arte’.

Os demais colegas de sala ignoraram o suposto ‘artista peladão’ […] então ele saiu, se vestiu e voltou ostentando a camiseta e saia com que havia chegado na faculdade.

Será que esse mesmo aluno tem o costume de fazer arte dentro da casa de seus pais?

Será que ele almoça ou janta pelado na presença de seus avós?

Será que ele teria coragem de fazer arte dentro de uma delegacia de polícia?

Sinceramente […] transformaram as faculdades públicas em verdadeiros antros de promiscuidade!

A questão não é ser ou não ser conservador ou liberal […] o fato é que sua liberdade termina onde começa a dos outros.

Vamos deixar de ser hipócritas […] esse cidadão merecia (no mínimo) uma supensão da faculdade.


 

publicidade


error: Conteúdo protegido !!