Virologista chinesa foge para os EUA e relata os ‘podres’ da China: “Entrego a verdade sobre o vírus”

Guilherme Santiago | 13/07/2020 | 2:38 PM | INTERNACIONAL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Li-Meng Yan, médica respeitada na Ásia Oriental, especialista em virologia e imunologia na Escola de Saúde Pública de Hong Kong, embarcou em um voo da Cathay Pacific, no dia 28 de abril, rumo aos Estados Unidos.

A dra. Yan planejou cuidadosamente sua fuga e deixou todos os entes queridos para trás.

Caso os policiais a barrassem ao deixar o país, ela poderia ser presa ou simplesmente ‘desaparecer’.

Em entrevista à Fox News, a médica afirmou que o governo chinês sabia sobre o novo coronavírus muito antes de ser divulgado para o mundo.

Ela contou que seus supervisores, reconhecidos como os melhores especialistas na área, também ignoraram a pesquisa que estavam fazendo no início da pandemia … pesquisa esse que poderia ter salvado várias vidas.

“Eles tinham a obrigação de contar ao mundo o que estava acontecendo e não o fizeram, já que o laboratório, especializado em vírus e pandemias da gripe, é reconhecido como uma referência para a Organização Mundial da Saúde”

Yan, que agora se esconde em algum lugar nos Estados Unidos, relata que o governo comunista chinês está tentando destruir sua reputação e acusa as autoridades de montar um ataque contra ela nas mídias sociais, na esperança de mantê-la quieta.

Ciente de que sua vida está em perigo, ela teme não voltar para seu país de origem e convive com a dura verdade de que nunca mais verá seus amigos ou familiares.

Mesmo assim, ela conta que o risco vale a pena:

“A razão pela qual vim para os Estados Unidos é porque entrego a mensagem da verdade em relação ao Covid-19”

Ela acrescentou que, se tentasse contar sua história na China, já estaria “desaparecida”.

A história da médica expõe encobrimentos nos mais altos níveis do governo, incluindo o presidente Xi Jinping e sua compulsão obsessiva para controlar a narrativa do coronavírus:

“A China sabia e todas as informações foram editadas”

Os problemas dra. Yan começaram quando ela alertou o governo sobre a letalidade e o perigo do coronavírus, meses antes de a China reconhecer o problema:

“Eu sei como eles esconderam isso”.

Ela foi silenciada e pressionada pelo regime comunista.

No dia 9 de janeiro de 2020, a OMS emitiu uma declaração negando a transmissão de humano para humano.

Mas, segundo Yan, todas as informações apontavam para um vírus altamente perigoso e fatal.

As afirmações de Li-Meng Yan levaram à remoção de seu nome no site da Universidade de Hong Kong, onde ela trabalhava e a uma declaração dizendo que ela não era mais membro do centro acadêmico.

Apesar de tudo, a cientista garantiu que continuará relatando os resultados de sua pesquisa e divulgando toda a verdade que a China ocultou sobre o Covid-19.


 


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.