Usina de Belo Monte: Lava-Jato segue a todo vapor e alvo da vez é o ex-ministro Delfim Netto

A Lava Jato investiga o papel de Delfim Netto (ex-ministro e ex-deputado federal) na estruturação do Consórcio Norte Energia

Na manhã de hoje, a PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de Delfim (89 anos), em SP.

Ele é suspeito de ter participado do propinoduto da Usina de Belo Monte.

De acordo com a Força-Tarefa, ele teria abocanhado R$ 15 milhões (ou 10%) de toda a propina paga pelas empreiteiras Odebrecht, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, OAS e J. Malucelli.

O restante da propina (os outros 90%) teria sido dividido entre o PT e o PMDB: 45% para cada.

A defesa do ex-deputado alega que:

“O professor Delfim Netto não ocupa cargo público desde 2006 e não cometeu nenhum ato ilícito. Os valores que ele recebeu foram honorários por consultoria prestada.”

O “professor” da frase acima é apontado como o “professor” da planilha da Odebrecht.


 

compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
whatsapp
publicidade


  • error: Conteúdo protegido !!