STF joga “quadrilhão do PT” para 1ª instância

O ministro Edson Fachin (STF) enviou todas as denúncias que constam no inquérito do “quadrilhão do PT” para a 1ª instância

Somente a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e seu marido Paulo Bernardo (ex-ministro de Lula) continuarão respondendo no Supremo, devido ao foro privilegiado.

As denúncias contra Lula, Dilma, Jaques Wagner, Antonio Palocci, Erenice Guerra, Guido Mantega, Ricardo Berzoini, Gilles Azevedo (o ex-chefe de gabinete de Dilma), Delcídio do Amaral, Sergio Gabrielli (o ex-presidente da Petrobras), João Vaccari Neto (ex-tesoureiro do PT ), Paulo Okamotto (presidente do Instituto Lula ) e José Carlos Bumlai (amigo pessoal de Lula) passam a ser investigadas na Justiça Federal do DF.

A gente torce para que todos caiam no colo do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal.

Vallisney é praticamente um Sérgio Moro de Brasília!

Todas as denúncias foram formuladas pelo ex-PGR Rodrigo Janot e os envolvidos são acusados de formação de organização criminosa.

Janot afirmou que, em 14 anos de PT, a Petrobras foi lesada em quase 1,5 bilhão de reais em troca favores e vantagens indevidas para as empreiteiras Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa, Mendes Júnior, Galvão Engenharia e Engevix.

VEJAM SÓ O QUE A DEFESA DESSES RÉUS TENTARAM FAZER

Os advogados das ‘excelências’ citadas acima pediram ao STF que o foro privilegiado de Gleisi Hoffmann fosse estendido para todos e, por consequência, continuariam sendo processados pelo STF.

Edson Fachin não acatou o pedido e jogou todos para a Justiça Federal da 1ª instância!

Uma pergunta: Porque é que todos os políticos preferem ser julgados no Supremo? Porque será?


 

publicidade

  • error: Conteúdo protegido !!