"Rússia planeja atacar o Reino Unido e matar milhares" diz ministro da Defesa britânico | Diário do Brasil

“Rússia planeja atacar o Reino Unido e matar milhares” diz ministro da Defesa britânico

A declaração foi dada pelo ministro da Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson

De acordo com publicação do jornal britânico The Telegraph, Vladimir Putin está estudando possíveis pontos fracos nas instalações de infraestrutura e energia do Reino Unido, incluindo gasodutos de procedentes da Europa continental.

“As forças de Vladimir Putin não estão se preparando para uma invasão terrestre do Reino Unido e sim planejando um ataque brutal a serviços críticos, incluindo o National Grid (grupo britânico proprietário e gestor de infraestruturas de transmissão de eletricidade)”, afirmou Gavin Williamson.

O ministro disparou o aviso depois que Londres anunciou cortes em grande escala para o Ministério da Defesa.

Nick Carter, general comandante das Forças Armadas Britânicas, destacou que a hostilidade russa poderá vir mais cedo do que o esperado e a Grã-Bretanha deve se preparar para entrar em guerra:

“Podemos ter que lutar” disse o general Sir Nick Carter.

Nos últimos meses, a Rússia tem praticado ataques simulados em toda a Europa.

Durante seu discurso no Royal United Services Institute, o general Carter destacou as novas capacidades de guerra cibernética de Moscou.

O militar também falou sobre a capacidade russa de ataque com mísseis de longo alcance, fato que foi demonstrado na Síria quando 26 mísseis foram lançados a uma distância de 1.500 km (930 milhas).

“Eles estão procurando vulnerabilidades […] os russos querem saber como atacar, como destruir nossa infra-estrutura. Nossas estações de energia estão sendo constantemente fotografadas e vigiadas. Um ataque desse porte pode causar milhares de mortes” disse Ciaran Martin, presidente do Centro Nacional de Cibersegurança do GCHQ.

Andrei Kostin, um aliado íntimo de Vladimir Putin, disse que há uma “crescente ameaça de conflito militar” em todo o continente e advertiu que a Rússia deu início a uma nova corrida armamentista.

O OUTRO LADO

Igor Konashenkov, major-general porta-voz do Ministério da Defesa russo, disse que tais acusações não fazem sentido:

“Se o Estado-Maior britânico comunica tais tolices, não vale a pena pensar sobre um possível aumento no orçamento militar daquele país e sim sobre uma requalificação de seus oficiais, observando inclusive laudos psicológicos”.


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram