• busca por palavra (s)
  • Rússia dá lição de moral em Trump: “O lado mais forte e mais inteligente deve evitar o perigo, sempre!”



    A RÚSSIA e a China desenvolveram um plano em comum para colocar fim às repetidas ameaças da Coréia do Norte e pedem aos EUA que se juntem a esse plano

    O braço-direito de Vladimir Putin e atual Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov (imagem dir.), disse que o risco de um conflito militar é muito alto e a sucessão das ameaças emitidas pelos EUA e pela Coreia do Norte são preocupantes.

    O ministro disse que ‘a guerra das palavras’ deve ser resolvida de um modo mais civilizado e revelou que a Rússia e a China têm um plano para impedir a escalada da crise.

    Lavrov disse:

    “Infelizmente a retórica de Washington e Pyongyang está superando os limites aceitáveis, porém ainda acreditamos que o senso comum prevalecerá.”

    Os relatos que chegam de Washington é de que os EUA devem atacar preventivamente a Coréia do Norte […] do outro lado Pyongyang ameaça realizar um ataque de mísseis à base americana de Guam.

    “Eu não quero nem pensar no que pode acontecer […] faremos o que puder para evitar isso. Minha opinião pessoal é que, quando você se aproxima do ponto de uma briga, o lado mais forte e mais inteligente deve dar o primeiro passo para longe do limiar do perigo. disse Sergei Lavrov.

    Lavrov incentivou os EUA e a Coreia do Norte a se inscreverem em um plano proposto pela Rússia e pela China, o que forçará a Coréia do Norte a congelar seus testes de mísseis em troca da suspensão dos exercícios militares conjuntos realizados pela Coréia do Sul e EUA:

    “Se esse duplo acordo ocorrer, então podemos sentar e começar desde o início – assinar um documento que irá enfatizar o respeito pela soberania de todas as partes envolvidas, incluindo a Coréia do Norte” destacou o ministro russo.

    Exercícios de guerra feitos entre americanos e sul-coreanos irritaram a Coréia do Norte nos últimos meses.

    Acredita-se que EUA e Coreia do Sul possam conduzir “ataques de decapitação” durante a ofensiva […] os alvos seriam as figuras-chave do governo de Kim Jong-un […] (marechal, vice-marechal, general,capitão,etc…)

    Para encerrar, Lavrov destacou que uma escalada bélica na península coreana é a resposta errada:

    “Vejo a necessidade de um trabalho duradouro no Conselho de Segurança da ONU … bem como uma estreita cooperação entre os países envolvidos, especialmente os EUA e a China”.


    publicidade



    error: Conteúdo protegido !!