“Risco de arritmia grave é praticamente inexistente” diz secretário do Ministério da Saúde

Amanda Nunes Brückner | 22/07/2020 | 9:59 AM | BRASIL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Hélio Neto, secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, declarou que “praticamente inexiste” algum risco de arritmia grave em pacientes que usam a dose correta de hidroxicloroquina no tratamento inicial da Covid-19.

“Há várias casuísticas publicadas no mundo inteiro, série de casos contendo milhares de pacientes, evidências que também foram analisadas pelo Ministério da Saúde, e essas evidências mostram que, no tratamento precoce, com a dose correta preconizada, segura, com uso há mais de seis décadas, praticamente inexiste ou é relativamente muito pouco o risco de ter uma arritmia grave ou algum problema que agrave a condição do paciente” disse.

Neto ainda apontou que a declaração não trata de pacientes graves, quando o coração é afetado pela doença e não pelo fármaco em si, e nem nos casos de superdoses, como aplicações de quantidades “de até 400% acima do normal


E no caso de hipertensos, diabéticos e cardíacos? Leia a matéria abaixo …

Medicamento é apontado como ‘aliado’ da hidroxicloroquina para uso em hipertensos e diabéticos

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.