• busca por palavra (s)
  • Revista Veja recebeu R$ 460 milhões durante gestões petistas, aponta jornalista



    A Revista Veja, que neste fim de semana publicou uma reportagem sobre as chamadas ‘fake news’, adora apontar o dedo para os outros, porém se esquece que tem telhado de vidro

    (Patrícia Carvalho para o Diário do Brasil)

    Através de uma campanha suja e desonesta contra o deputado Bolsonaro, a Veja decidiu se unir a seus ‘parceiros de luta’ (Folha,Época,UOL,Exame,IstoÉ, etc…) para classificar como ‘fake news’ tudo aquilo que seja a favor de Jair Bolsonaro.

    Trocando em miúdos: Se for a notícia for a favor de Lula, FHC, Aécio, Dilma, etc… eles classificam o texto como verdadeiro […] se for a favor de Jair Bolsonaro, eles tentam impor uma classificação de ‘fake news’ … um verdadeiro absurdo!

    Quem a Veja pensa que é para dizer o que é ou não é verdade?

    Há um ditado que diz “A minha verdade pode não ser a sua”.

    Entendem o que quero dizer, caros internautas?

    Se eu (Patrícia) escrever uma matéria com o tema “Jesus voltará em breve”, diversas pessoas irão discordar e outras irão apoiar. Os religiosos certamente concordarão … já os ateus dirão que é uma bobagem, ou seja, uma ‘fake news’.

    Um outro exemplo:

    Se eu redigir um texto afirmando que Lula é ladrão, a discordância será enorme. Simpatizantes do ex-presidente tentarão defendê-lo a todo custo […] já os inimigos políticos do ex-presidente dirão que é verdade. Lula é ladrão ou não? Essa texto será considerado uma “fake news’?

    Eu te respondo: Depende do ponto de vista. Não existe verdade absoluta, assim como não existe certo e errado.

    É claro que esse pensamento não pode ser aplicado para notícias claramente tendenciosas como (por exemplo):

    “Fausto Silva morreu […] Sérgio Moro trabalha para o FBI […] O Papa Francisco é um extraterrestre”.

    Nenhuma mídia tem o poder de dizer o que é certo ou errado quando o assunto permite várias interpretações e pontos de vistas diferentes.

    Simples assim! É o princípio da liberdade de expressão, onde qualquer indivíduo pode manifestar (livremente) opiniões, ideias e pensamentos pessoais sem medo de retaliação ou censura por parte do governo ou de outros membros da sociedade. É um conceito fundamental nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral.

    Se fugirmos ao entendimento do parágrafo acima, ou seja, se um grupo de mídia começar a nos impor o que é verdade e o que é mentira, estaremos entrando numa ditadura midiática.

    Partindo desse princípio e voltando ao assunto da chamada, a tal revista (que adora classificar notícias de terceiros como ‘fake news’) se esquece de olhar para o próprio rabo.

    O site Pragmatismo Político fez um apanhado sobre diversas edições da Veja que podem ser classificadas como ‘fake news’. Vale a pena dar uma olhada. (link)

    Em junho de 2015, o jornalista Fernando Rodrigues (do UOL) publicou uma matéria destacando os generosos aportes financeiros que os governos petistas deram para as grandes mídias brasileiras.

    A TV Record obteve R$ 2 bilhões de verbas nos 12 anos de Lula e Dilma;

    De 2003 a 2014, SBT recebeu R$ 1,6 bi;

    A Bandeirantes ficou com R$ 1 bilhão;

    A Rede Globo e as 5 emissoras de propriedade do Grupo Globo (em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília e Recife) receberam um total de R$ 6,2 bilhões em publicidade estatal federal durante os 12 anos dos governos Lula (2003 a 2010) e Dilma (2011 a 2014).

    A série histórica sobre publicidade do governo federal começou a ser construída de maneira mais consistente a partir do ano 2000. Não há dados confiáveis antes dessa data.

    Bom, mas o foco aqui é a Veja e seus comparsas.

    JORNAIS IMPRESSOS

    Nos governos Lula e Dilma (2003-2014), os jornais impressos arrecadaram R$ 2,1 bilhões com a publicação de propagandas da administração petista. Desse total, R$ 730,3 milhões (35%) foram destinados a apenas 4 publicações: “O Globo”, “Folha de S.Paulo”, “O Estado de S.Paulo” e “Valor Econômico”.

    REVISTAS

    A semanal “Veja”, líder do mercado, já chegou a ter R$ 43,7 milhões dessas verbas somente em 2009 (o seu recorde). Em 2014, desceu para R$ 19,9 milhões.

    Somadas, as verbas do governo federal DESTINADAS para a revista Veja, representam um montante de R$460 milhões em 15 anos, o que corresponde a R$ 30,6 milhões por ano ou pouco mais de R$ 2,5 milhões por mês.

    São quase R$ 500 milhões de reais […] é muito dinheiro […] meio bilhão de reais!

    Deu pra entender agora porque é que eles atacam o deputado Jair Bolsonaro e as mídias que não andam de acordo com seus preceitos?

    Bolsonaro já avisou que, se chegar lá, a mamata vai acabar!

    Um detalhe: DINHEIRO PÚBLICO, PAGO COM NOSSOS IMPOSTOS

    O UOL publicou um quadro bem fácil e interessante de ser analisado:




    leia também:

    GRUPO UOL (FOLHA DE SP) RECEBEU APORTE DE MAIS DE R$ 225 MILHÕES DURANTE GOVERNO PETISTA


    publicidade



    error: Conteúdo protegido !!