Presidencialismo de coalizão: Não existe almoço grátis | Diário do Brasil

Presidencialismo de coalizão: Não existe almoço grátis


Na tarde de ontem (10), o jornal Estadão publicou uma matéria informando que o PDT (de Ciro Gomes) aprovou o ‘apoio crítico’ a Haddad no segundo turno.

Carlos Lupi, presidente do partido, explicou que O PDT não iria ‘exigir’ cargos numa eventual gestão petista:

“Bolsonaro representa um retrocesso. Não queremos nenhum cargo em lugar nenhum”, disse Lupi à reportagem do Estadão.


Manhã de hoje (11) – notícia do Antagonista

A cúpula do PT declarou ao Estadão que, para apoiar Fernando Haddad, o partido de Ciro Gomes teria pedido os seguintes cargos:

A Casa Civil, o Ministério do Planejamento, o comando do BNB (Banco do Nordeste), um ministério para Carlos Lupi e a presidência do Senado para Cid Gomes, irmão de Ciro.

Deu pra entender o significado das palavras ‘apoio crítico’  , prezado internauta?

Ahhh … Ciro Gomes, o ‘Cirão da massa’, está descansando na Europa.


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram