Petista é expulsa de restaurante ao tentar pagar com notas de ‘Lula Livre’

A doença do comunismo é algo que precisa ser estudado pela NASA!

(Patrícia Carvalho)

Uma suposta artista chamada Ana Teixeira está espalhando, através das redes sociais, que teria sido vítima “de uma histeria violenta e desnecessária” por parte dos proprietários de um restaurante, como ela própria definiu.

Na verdade, a petista foi expulsa do restaurante Komy’s (Vila Madalena, São Paulo) quando foi pagar a conta.

Ana simplesmente tirou do bolso várias notas rasuradas que continham o carimbo #LulaLivre.

Os donos do estabelecimento simplesmente se recusaram a aceitar o dinheiro ‘sujo’ e pediram para a moça se retirar.

Mas … petista é sempre petista!

Provavelmente fruto de uma geração que não trabalha, vive às custas dos pais, não respeita autoridades, xinga a polícia, quebra patrimônio público, entre outras coisas, a mocinha decidiu ‘horrorizar’ nas redes sociais e declarou o seguinte:

“A proprietária do restaurante já havia me dado o troco e quando percebeu o carimbo começou a gritar descontroladamente: NÃO ACEITO ISSO! NÃO ACEITO ISSO! SUA BANDIDA! TENTOU ME ENGANAR ME DANDO A NOTA PELO OUTRO LADO. BANDIDA! [sic]”, descreveu Ana, em publicação no Facebook, que viralizou.

Bem, a petista precisa entender duas coisas simples:

  1. O fato de o Banco Central dizer que as notas serão aceitas pelo sistema bancário, não obriga um comerciante ou qualquer outra pessoa a aceitar uma nota rasurada.
  2. O restaurante é um espaço privado, portanto cabe aos donos implementarem suas próprias regras.

Parabéns aos donos do restaurante que fizeram prevalecer suas escolhas em um país democrático.

E tomara que eles entrem com um processo de danos morais contra essa moça que está espalhando calúnias e denegrindo a imagem do restaurante nas redes sociais.

Comunistas não sabem o que significa acordar cedo, lutar para pagar impostos, funcionários, aluguel, enfim, vivem numa realidade fantasiosa.



 

publicidade

  • error: Conteúdo protegido !!