‘Pacientes recuperados estão testando positivo para Covid-19 novamente’ relata a China

*** conteúdo exclusivo do Diário do Brasil | se for reproduzir, copiar e/ou colar, favor citar a fonte ***

Guilherme Santiago | 26/03/2020 | 9:35 PM | INTERNACIONAL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Milhões de moradores de Hubei, centro da pandemia, estão deixando a província e migrando para outros locais do país comunista.

Meses após a batalha contra o COVID-19, os cientistas ainda estão lutando para entender o novo vírus que afetou mais de 530.000 pessoas em todo o mundo.

Em particular, relatos de pacientes diagnosticados como ‘recuperados’ e que testaram positivo para o vírus novamente, levantam mais questões sobre como esse patógeno se comporta e quem está em risco.

No início de março, um paciente em Wuhan, cidade no centro da China onde o COVID-19 foi detectado pela primeira vez, morreu do vírus cinco dias depois de ter sido considerado recuperado e liberado do hospital.

Enquanto isso, de 5 a 10% dos pacientes com COVID-19 que receberam alta na província de Hubei, onde Wuhan está localizado, apresentaram resultados positivos em exames posteriores, de acordo com dados preliminares de várias instalações de quarentena.

Outras províncias, incluindo Sichuan, Jiangsu, Hainan e Guangdong, relataram casos semelhantes de reinfecção.

Autoridades de saúde da província de Guangdong, no sul da China, disseram que, no final de fevereiro, 14% dos pacientes recuperados tiveram um resultado positivo novamente após receber alta.

Em todo o mundo, pacientes recuperados em Hong Kong , Coréia do Sul e Japão também testaram positivo novamente dias a semanas após receber alta.

Ainda não está claro por que os pacientes voltariam a ter um resultado positivo, mas especialistas dizem que testes imprecisos podem levar à alta dos pacientes antes da recuperação total.

“É possível que esses pacientes recuperados tenham tido resultados negativos antes por causa de resultados falsos”, acrescentou Wang.

A precisão de um teste de ácido nucleico é de 30 a 50%.”

Quem recebe ‘sinal verde’ para deixar o hospital?

De acordo com as diretrizes de tratamento COVID-19 estabelecidas pela autoridade nacional de saúde da China, os pacientes podem receber alta do hospital se tiverem dois testes negativos consecutivos de ácido nucleico, além de melhorias nos sintomas clínicos, como febre e tosse.

No entanto, muitos fatores podem afetar a precisão de um teste, como a confiabilidade do fabricante e como, onde e quando a amostra é coletada.

“Nem sabemos se esse teste (ácido nucleico) é a melhor maneira de detectar infecções”, disse Shen Yinzhong, especialista em doenças infecciosas no Centro Clínico de Saúde Pública de Xangai, ao site Sixth Tone.

“Todos os testes de laboratório têm limitações, então nós (como médicos) não podemos confiar apenas nos resultados de laboratório ao fazer um diagnóstico.

Em vez disso, consideramos o histórico médico e os sintomas clínicos dos pacientes, além desses testes, para uma avaliação abrangente. ”

Especialistas dizem ainda que um teste negativo não significa necessariamente que o paciente está livre de vírus, nem um teste positivo significa que o paciente está doente.

“O teste de RT-PCR (teste de ácido nucleico) não é um teste de cura”, disse Philip Tierno Jr., patologista da Universidade de Nova York, ao Sixth Tone.

“Será positivo para qualquer um dos restos de RNA viral que permanecerem no local, mesmo que a matéria viral esteja morta”.

As pessoas que testam positivo após se recuperar ainda são infecciosas?

Até o momento, não há casos conhecidos de pacientes que receberam alta, infectando outras pessoas, mas ainda é muito cedo para dizer categoricamente que não são contagiosas.

“Pode ser que não haja vírus vivos ou que eles não eram mais infecciosos”, diz Shen.

“Também é possível que esses pacientes tenham seguido nossas sugestões para descansar em casa e, portanto, não tenham espalhado o vírus”.

A autoridade de saúde da China recomendou que todos os pacientes com COVID-19 permanecessem em quarentena em casa por mais duas semanas após receber alta.

Uma pessoa totalmente recuperada pode ser reinfectada?

Embora não existam evidências até o momento que possam descartar completamente essa possibilidade, os especialistas sugerem que a reinfecção é improvável, especialmente a curto prazo após a recuperação.

O corpo humano pode desenvolver imunidade duradoura contra alguns patógenos como (por exemplo) o vírus da varicela (catapora), mas a imunidade contra outros vírus pode durar pouco, apenas alguns meses.

“A partir dos dados preliminares, é provável que nossa imunidade contra o coronavírus seja de curto prazo”, diz Shen. “Mas, por quanto tempo, não sabemos.”

Shen acrescentou que, em teoria, um paciente também pode se infectar novamente se a imunidade que desenvolver for muito fraca para oferecer proteção total.

Mas, à medida que o surto desaparece na China, o risco de infecção para pessoas saudáveis ​​que não têm imunidade contra o vírus é relativamente baixo.

Portanto, é improvável que os pacientes que recebem alta após parecerem saudáveis ​​contraiam o vírus novamente, diz Shen.

 


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.