Os patrocínios ocultos para o Instituto de Gilmar Mendes


por Aline Moraes | informações baseadas na reportagem de Felipe Coutinho e Rodrigo Rangel , Revista Crusoé |

O IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público) é uma instituição educacional brasileira que tem como sócio-fundador o ministro do STF, Gilmar Mendes.

Visto como um negócio multimilionário, o IDP é inteiramente controlado pela família de Gilmar.

Em 2017, o filho do ministro do STF adquiriu mais de 40% da sociedade por uma bagatela de R$ 12 milhões.

A revista Crusoé divulgou uma lista dos patrocinadores do Instituto que doaram milhões para investimento em pesquisas, porém alguns desses patrocinadores fazem questão de terem seus nomes ‘ocultos’ … são os chamados patrocinadores secretos.

No ano de 2016, o IDP recebeu 32 contribuições de diversas empresas e entidades … os pagamentos, que variaram de R$ 50 mil a R$ 500 mil, totalizaram cerca de R$ 4,3 milhões.

Uma das maiores doadoras foi a empresa Souza Cruz. Entre 2011 e 2016, a gigante do ramo de cigarros repassou R$ 2,4 milhões ao Instituto.

Além da Souza Cruz, o Bradesco, a Friboi (J&F), a Triunfo Engenharia e o Google também estão na lista de empresas doadoras que receberam o status de ‘patrocinadores secretos’.

Há também diversos patrocinadores públicos (CEF, CORREIOS, ELETROBRAS, BANCO DO BRASIL) […] o que é totalmente ‘legal’ mas ‘imoral’.

A Crusoé tentou entrar em contato com as empresas citadas acima, porém somente o Google esclareceu os questionamentos e declarou que a empresa costuma incentivar a produção de conteúdo técnico e não havia qualquer obrigação de exposição da marca nos eventos promovidos pelo IDP.



Patrocinadores têm grandes causas em tramitação no STF

A matéria destaca que não há uma correlação entre as empresas patrocinadoras e as decisões tomadas pelo ministro Gilmar na Suprema Corte, porém a relação ‘ministro-empresário’ dá margem para que se crie algumas situações embaraçosas.

Dos vários processos que passaram pelo gabinete do ministro desde 2016, cerca de 300 são de alguns desses patrocinadores.

Calma prezado leitor, é apenas uma ‘coincidência’ […] será?

Vale ressaltar que uma brecha na lei permite que ministros possam dar aulas e até possuírem empresas, desde que não administrem o dia a dia do negócio.

Em nota, o IDP negou que tenha havido a intenção de ocultar qualquer patrocínio:

“O apoio de parceiros ao IDP sempre foi realizado de forma transparente e pública”

Em outubro de 2017, o site BuzzFeed, publicou uma matéria, assinada por Felipe Coutinho, dizendo o seguinte:

” … é possível calcular que a faculdade fundada pelo ministro vale cerca de R$ 27,6 milhões, sendo R$ 12 milhões (43,44%) do filho Francisco [Schertel Mendes] e outros R$ 15,6 milhões (56,56%) em cotas de Gilmar Mendes.”

Francisco (o filho de Gilmar), é consultor legislativo do Senado e tem um salário na casa dos R$ 30 mil […] tornou-se sócio do IDP em agosto de 2017, mais precisamente no dia 18.

Ele adquiriu a cota de Paulo Gonet, hoje secretário da cúpula da Procuradoria-Geral da República, na gestão de Raquel Dodge.


 

 

publicidade

  • error: Conteúdo protegido !!