O recado de Sérgio Moro a políticos e membros do STF: "Ninguém está acima da lei" | Diário do Brasil

O recado de Sérgio Moro a políticos e membros do STF: “Ninguém está acima da lei”

O juiz federal Sérgio Moro mandou um duro recado aos críticos do regime de prisão preventiva que mantém criminosos do colarinho branco atrás das grades na no âmbito da Lava Jato.

Para o magistrado, só reclama das prisões preventivas da operação “Lava Jato” quem acha que está acima da lei.

Moro respondeu a críticas que classificou de “genéricas” às preventivas decretadas na operação:

“As críticas às prisões preventivas refletem, no fundo, o lamentável entendimento de que há pessoas acima da lei e que ainda vivemos em uma sociedade de castas, distante de nós a igualdade republicana”, diz.

O ministro Gilmar Mendes, do STF, é um crítico assumido das prisões preventivas:

“Temos que nos posicionar sobre esse tema que discorda e conflita com a jurisprudência que desenvolvemos ao longo dos anos”, declarou Mendes, que acha que as prisões têm se alongado demais.

Moro reconhece que o número de preventivas é “significativo”.

Foram 86 prisões em 3 anos […]

“O número é muito menor do que o número de prisões preventivas decretadas em um ano em qualquer Vara de Inquéritos ou Varas de Crime Organizado em uma das grandes capitais dos Estados brasileiros”, defende-se o juiz.

Na Operação Mãos Limpas, que investigou a corrupção na Itália entre 1992 e 1994, o número de preventivas foi maior, explica Moro.

De acordo com os cálculos do juiz, houve cerca de 800 prisões, somente em Milão.

“A questão real não é a quantidade, mas a qualidade das prisões […] o problema não são as dezenas de prisões e sim quem estamos prendendo” se referindo aos presos ilustres.


(fonte: Marcelo Galli / Conjur)

compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
WHATSAPP