Diplomata brasileiro diz que o Estado é sócio das facções: “Os parlamentares são comprados pelo crime”

“Há conluio do Estado brasileiro com as organizações criminosas”

Em janeiro de 2017, Samuel Pinheiro Neto destacou que “não há interesse por parte do atual governo, dos empresários e nem tão pouco dos parlamentares comprados por organizações criminosas em mudar a situação do país”.

“O que aconteceu nas prisões (se referindo ao massacre que matou 56 presos na cadeia de Manaus em janeiro de 2017) é só a ponta do iceberg do tráfico de drogas, da lavagem de dinheiro e da impunidade generalizada em relação às organizações criminosas.”

O diplomata se mostrou assustado com a ‘banalização’ dos crimes no Brasil, principalmente por parte dos políticos.


 

publicidade

  • error: Conteúdo protegido !!