Moro sobre a Lava-Jato: “Medo de morrer? Não! Já lidei com traficantes perigosos”


Lava-Jato, até quando?

Moro conta que já tentou fazer algumas estimativas sobre o tempo da Operação, porém foi surpreendido:

“Fiz alguns planos no passado sobre quando a Operação encerraria, mas me equivoquei. É um trabalho desgastante, mas ficarei até o final”

Tem intenção de sair do país?

“Temporariamente, para me qualificar mais e abrir a mente. Mas pelo jeito não será em breve”

Segurança

“É incomum um juiz ser reconhecido nas ruas. Isso altera um pouco a rotina. Sobre a questão da segurança eu não posso falar, mas tomo uma série de cautelas. Já tive outros casos complexos. A jurisdição criminal é sempre um desafio”

Teve medo de morrer?

“Não. Já lidei com processos mais complexos. Já tive situações envolvendo líderes perigosos do tráfico, no Brasil e no estrangeiro”

Depois de prender um ex-presidente, a Lava-Jato poderá ir mais adiante?

“Ainda há vários processos para serem julgados. O trabalho não acaba por conta de um caso específico.”

Efetividade no combate à corrupção

“O Sistema de Justiça Criminal têm se esforçado ao máximo […] Polícia, MPF, Judiciário, Receita Federal e outros órgãos estão dando uma contribuição relevante para combater a corrupção sistêmica. Mas somente a justiça não é suficiente […] o governo e o Legislativo devem tomar mais iniciativas para fortalecer a Justiça Criminal […] questões práticas da administração pública também interferem no processo , por exemplo: o loteamento (nomeação) de cargos em estatais contribuem para a corrupção.

Quanto tempo levaremos para reduzir consideravelmente a corrupção?

“As pessoas não devem ter a ilusão de que a Lava-Jato acabará com a corrupção. As instituições têm que funcionar de maneira mais regular […] a impunidade tem que ser diminuída para provocar uma sensação razoável da diminuição dos crimes. “

Reações contra a Justiça

“O ideal seria que esse enfrentamento à corrupção fosse respeitado […] se ocorrerem tentativas de reação, é necessário que elas sejam impedidas. Tentaram colocar em votação no Congresso um projeto de anistia aos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro (travestidos em crimes de caixa 2) […] os parlamentares impediram  e isso é bastante positivo. “

Apoio da população

“O apoio popular aliado à transparência e liberdade de informação é fundamental […] tudo que foi feito até agora não é mérito pessoal de ninguém e sim uma conquista da democracia […] um juiz não pode julgar de acordo com a opinião publica, mas as manifestações a favor da Lava-Jato foram essenciais”



 

compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
whatsapp
publicidade


  • error: Conteúdo protegido !!