Mariana e Brumadinho não são desastres naturais. Dilma é um ‘desastre natural’

Amanda Nunes Brückner | 27/01/2019 | 11:35 PM | BRASIL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Será que seremos sempre um país de 3º mundo?

(Amanda Nunes)

Grande parte da população se recorda do desastre ambiental (e humano) ocorrido na cidade de Mariana-MG, em 2015.

Vidas humanas, animais e quase todo o ecossistema da região foram destruídos.

Na época, criou-se uma histeria midiática … milhões de reais (ou bilhões, não me lembro bem) pertencentes às empresas responsáveis pelo desastre foram confiscados … todos acharam que (enfim) a justiça cumpriria seu papel.

Após 3 anos, quase ninguém foi indenizado.

Segundo o jornal O Globo, foram aplicadas 67 penalidades (multas). A empresa recorreu e conseguiu anular cinco.

Das 62 que sobraram, que totalizam R$ 535,9 milhões, apenas uma começou a ser paga.

Essa tal multa ainda foi parcelada em 60 vezes.

O DECRETO DESASTROSO DE DILMA ROUSSEFF

Dias depois da tragédia de Mariana, a presidente Dilma Rousseff assinou um decreto que considera como “natural” todo e qualquer acidente envolvendo barragens.

Dilma foi a responsável direta por aquele desastre e fez com que as punições se tornassem praticamente nulas.

Desta vez, em Brumadinho, o número de vidas ceifadas já chega a 58 e outras 400 pessoas estão desaparecidas.

Será que o Judiciário terá culhões para anular esse decreto de Dilma?

Abaixo o texto do Decreto Nº 8.572 de 13 de Novembro de 2015:

“Parágrafo único. Para fins do disposto no inciso XVI do caput do art. 20 da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, considera-se também como natural o desastre decorrente do rompimento ou colapso de barragens que ocasione movimento de massa, com danos a unidades residenciais.” (NR)”



 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.