Kim Jong-un vai “acabar” com a rede de energia norte-americana, diz ex-diretor da CIA

James Woolsey, ex-diretor da CIA, disse que os EUA correm um grande risco de sofrer um colapso energético

A América poderia ser mergulhada em um blackout, de acordo com Woolsey:

“A rede elétrica do país pode estar vulnerável a um ataque norte-coreano”

Atualmente, funcionários de defesa do governo norte-americano juntamente com o Pentágono estão trabalhando em uma “rede de comunicação alternativa” para o caso de um possível ataque.

Recentemente, o ex-diretor da CIA escreveu:

“Uma única ogiva entregue por um satélite norte-coreano pode bloquear a rede elétrica nacional e outras infra-estruturas críticas que sustentam a vida por mais de um ano.”

E, preocupantemente, para a administração Trump, a Coréia do Norte tem a capacidade de lançar uma bomba de pulso eletromagnético (EMP):

“Esse ataque poderia matar 90% dos americanos por fome e colapso da sociedade.”


EMP (Electromagnetic Pulse) – Tecnologia de Pulso Eletromagnético

A Rússia já desenvolve esse tipo de tecnologia há mais de 50 anos.

Trata-se de uma arma sem barulho, sem fumaça, sem cheiro, sem mortes, enfim, a bomba é invisível: não levanta poeira, não abre nenhuma cratera.

Esta arma improvável existe. O nome é e-bomb ou bomba eletromagnética […] uma arma que emite raios gama capazes de danificar a rede elétrica de um país inteiro, inutilizar aviões, armas, bombas atômicas, submarinos […] destruir satélites, componentes eletrônicos e computadores, interrompendo todo o sistema de comunicações.

Seus alvos? Os cabos e as redes de eletricidade, servidores, comunicações eletrônicas, computadores e o coração dos bunkers – que são praticamente impossíveis de serem atingidos por outros meios.

As conseqüências?

A interrupção momentânea ou definitiva das comunicações, trocas de dados, sistemas de comando, aparelhos de detecção e de controle.

A e-bomb pertence à categoria das armas de energia direta – (HPM, high power microwaves weapon).

Não se trata de ficção ou filme de holywood.

Além da Rússia, há suspeitas de que a China e a Coréia do Norte também já possuam esse tipo de tecnologia armamentista.


Woolsey pediu ao presidente Trump que modernize urgentemente as defesas do país:

“Temos que lançar um programa contra ataques EMP aos EUA. Precisamos preservar a civilização americana e centenas de milhões de vidas.”

David Grantham, do Centro Nacional de Análise de Políticas, com sede em Dallas, disse:

“Os adversários da América reconhecem a vantagem do pulso eletromagnético e o promovem como o ‘poderoso meio de ataque do século XXI’.

Grantham também destacou:

“O Irã menciona mais de 20 vezes a EMP em sua doutrina militar e as evidências sugerem que a Coréia do Norte simulou um ataque EMP em 2013.”


fonte: (retired Green Beret of the United States Army Special Forces)



publicidade


error: Conteúdo protegido !!