Jornalista da Folha/SP extrapola ao entrevistar Gentili. Ele provocou tanto que foi demitido

Diego Bargas, jornalista de extrema esquerda, quis aproveitar seu ‘status’ de jornalista de um grande veículo de comunicação e acabou se dando muito mal

Em nome da Folha/SP, ele entrevistou o comediante Danilo Gentili na estreia de seu filme “Como se tornar o pior aluno da escola?”.

As perguntas foram tão provocativas e invasivas que Gentilli acabou usando as redes sociais para desabafar sobre o assunto.

“Que tipo de jornalista cultural vai conversar sobre um filme de ficção/comédia e não faz uma pergunta sequer sobre direção, roteiro, fotografia, atuação e outros aspectos artísticos e cinematográficos?”, questionou o humorista, que fez questão de postar a entrevista (gravada por sua equipe) em sua timeline no facebook.

“Ele se comporta mais como militante político do que como jornalista isento. Sendo assim, que credibilidade teria um torcedor do PT entrevistando eu, um artista que está literalmente na lista negra do PT? escreveu Danilo.

Ao final da postagem, Gentili diz:

“Infelizmente a melhor parte desse encontro não foi filmada. Ele se levantou dando suas bufadinhas e disse “Eu quero dizer que não gosto do filme”.

Eu respondi: “E eu quero dizer que não me importo nem um pouco com a sua opinião”.

Resumindo tudo o que foi dito acima: O jornalista não quis fazer uma entrevista.

Ele tentou provocar o entrevistado com a intenção de induzir o público a “achar” que o filme continha assuntos polêmicos e ‘politicamente incorretos’.

O resultado? Ele apertou tanto a corda que acabou sendo despedido!

Leia abaixo a análise feita pelo portal Teleguiado.com:

“As perguntas do repórter são mais engraçadas que o próprio filme. No primeiro minuto, ele questiona as ausências de Alexandre Frota e Rachel Sheherazade. No terceiro, reclama que não há referências homofóbicas no filme. A partir do quinto minuto, tenta comparar um pedófilo de verdade com um pedófilo ficcional – e recebe uma humilhante aula de Fabricio Bittar (o diretor).”

O OUTRO LADO

Segundo uma postagem feita no Facebook, o jornalista diz que foi perseguido por Gentili que “o esmagou como uma barata, só porque ele pode, só porque eu o ousei desafiar” disse.

Bargas também descreve que foram usadas contra ele 5 postagens (feitas nas redes sociais) em que ele defende Dilma, Lula e Haddad.



publicidade


error: Conteúdo protegido !!