Jornalista do Interce’PT’ comete ato falho e primeira mentira vem à tona

Patrícia Moraes Carvalho | 13/06/2019 | 12:05 AM | POLÍTICA
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Novas ameaças a Sérgio Moro

O jornalista norte-americano que vazou trechos de conversas entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol voltou a fazer sérias ameaças ao ministro da Justiça.

Glenn Greenwald afirmou que há mais materiais que comprovam a interferência direta do juiz Sergio Moro nos rumos da Lava Jato e, consequentemente, das últimas eleições.

Ele declarou:

“Temos mais materiais envolvendo o papel do Moro na Lava Jato, mostrando que ele é um chefe da força-tarefa, que criou estratégias para botar Lula e outras pessoas na prisão, e atuou quase como um procurador, não como juiz”.

Tudo bem que esse sujeito queira proteger sua fonte, conforme reza o ‘beabá’ da imprensa, mas ele deve ser responsabilizado por suas publicações infundadas e criminosas.

Conforme o próprio jornalista declarou, há mais materiais … ou seja, ele tem em sua posse outros materiais obtidos de maneira ilícita.

O Ministério Público deveria, no mínimo, denunciar esse jornalista por pelo crime de Associação Criminosa (Artigo 288 do Código Penal), afinal de contas ele se uniu ao tal hacker para praticar as invasões cibernérticas.


Gravíssimo – ato falho

Num ato falho ocorrido ontem (11) durante uma entrevista, o jornalista Glen Greenwald afirmou o seguinte:

“Nós ficamos muitas semanas planejando como proteger a nós e a nossa fonte contra os riscos físicos, riscos legais, riscos políticos, riscos que vão tentar sujar a nossa reputação”.

Em primeiro lugar: se a fonte é anônima, então não há porque protegê-la … ninguém pode atacar um alvo invisível.

Por outro lado, se o The IntercePT sabe quem é a fonte e ficou em posse  de um material criminoso durante semanas, isso não tornaria o jornalista (e seus comparsas) cúmplices de um crime?

Vamos colocar de outra maneira …

Um jornalista recebe, de uma fonte anônima, um material obtido de maneira criminosa que diz respeito ao Ministro da Justiça, procuradores da República, jornalistas, membros do judiciário, etc … e, ao invés de denunciar o hacker à PF, ele simplesmente resolve pedir uma cópia dos materiais obtidos e ameaça divulgar tudo à conta gotas para ‘forçar’ o afastamento de Sérgio Moro e a anulação do julgamento de Lula?

Isso não seria um crime de extorsão, chantagem ou algo similar?


Leia também:

Marido de jornalista que ‘hackeou’ Sérgio Moro já foi acusado de ‘terrorismo’ e ‘espionagem’

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.