Jornalista defende exposição de homem nu mas diz que crianças não devem ouvir Anitta

Uma jornalista – que trabalha no Estadão – deu mais uma prova da lógica irracional esquerdista

A moça ficou “P” da vida pelo fato do público em geral ter denunciado os abusos ocorridos na exposição do MAM – aquela em que um homem fica pelado no palco rodeado de crianças.

Assim como fez a grande mídia (com cinismo e hipocrisia), a jornalista fez questão de ironizar o fato e, mais uma vez, desviou o foco, colocando a culpa da ‘suposta censura’ no MBL:



Em Janeiro de 2015, a mesma jornalista publicou um texto no Estadão atacando as músicas da cantora Anitta e, pasmem, de Michel Teló também

Deu pra entender, caro internauta?

A moça defende a legalidade de uma exposição onde um ‘homem nu é tocado por crianças’ … porém, acha que essas mesmas crianças não devem escutar as músicas da Anitta.

Leia abaixo um trecho do texto intitulado “Parem de tocar Anitta nas festas de criança. Apenas parem”:

Um dia desses fui com o meu filho em um buffet infantil para festa de uma amiguinha […] a pista de dança estava aberta:

“Prepara. Que agora. É hora. Do show das poderosas. Que descem. Rebolam. Afrontam as fogosas. Só as que incomodam. Expulsam as invejosas. Que ficam de cara. Quando toca”. “Show das Poderosas”, da funkeira Anitta.

Vejo um “pula-pula” […] um escorregador inflável, um palhaço.

[…] comecei a pensar de onde as pessoas tiraram a ideia de que essa música tem alguma relação com o universo infantil.

[…] não consigo entender como ouvir “descem, rebolam, afrontam as fogosas” pode ajudar na formação ou no vocabulário do meu filho ou de alguma criança deste mundo.

E não foi só a música da Anitta […] Logo começou uma “gemeção”: “Nossa. Nossa. Assim você me mata. Ai, se eu te pego. Ai, se eu te pego. Delícia. Delícia. Assim você me mata. Ai se eu te pego, ai, ai…”

Gosto do Michel Teló, já o entrevistei uma vez. Ele faz sucesso no mundo todo, do Brasil à Romênia.

Expliquei para meu filho que o “ai se eu te pego” era sobre brincar de pega-pega. E me senti esperta.

Claro que esse tipo de música não toca em todos os buffets infantis […] a maioria de mães e pais tem cuidado na hora de escolher o que os filhos podem e devem escutar.

Só acho mais legal que meu filho saiba que “com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo” (música do cantor Toquinho) […] ou que queira “pegar carona nessa cauda de cometa, ver a via láctea, estrada tão bonita (música de Guilherme Arantes)

Obrigada, Palavra Cantada – Sandra Peres e Paulo Tatit – pela graça alcançada. (se referindo a uma dupla que faz música para crianças)

 


(a informação é do site Ceticismo Político)

publicidade


error: Conteúdo protegido !!