• busca por palavra (s)
  • “Gleisi pagava gasolina, IPVA, conta de luz e comprou até video game com propina” diz delator


    O dinheiro desviado dos aposentados *** foi usado para comprar até um brinquedinho para o filho de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo

    Em setembro de 2017, a Revista IstoÉ mostrou que a empresa Consist pagava as despesas pessoais dos petistas Gleisi e seu marido Paulo Bernardo.

    O dinheiro obtido de forma ilícita serviu até para presentear um dos filhos do casal com um vídeo game.

    Pois bem …


    O advogado Marcelo Maran, em depoimento inédito colhido nesta semana pela PGR, detalhou como o dinheiro desviado erário público financiou as campanhas eleitorais de Gleisi Hoffmann e também as contas pessoais de sua família.

    De acordo com o dr. Maran, despesas habituais da ‘presidenta’ do PT e do marido Paulo Bernardo eram bancadas por uma conta-propina recheada com o dinheiro do contribuinte.

    As tais ‘despesas habituais’ incluíam gasolina, IPVA dos veículos da família, conta de luz, condomínio, conserto de liquidificador, brinquedos para seus filhos e até salário de motorista particular – Gleisi Hoffmann nega tudo.


    assista um trecho do vídeo: (informações de Hugo Marques, da Veja)


    *** O ESQUEMA

    Paulo Bernardo e seus aliados do PT lesaram aposentados (funcionários públicos) que caíram no ‘golpe’ do crédito consignado.

    Os aposentados pagavam mensalmente um real (valor que estava embutido nos empréstimos) que era destinado para a Consist, empresa de informática que fazia o controle das operações.

    Parte do dinheiro era desviado com o aval do ministério do Planejamento, comandado na época por Paulo Bernardo.

    Paulo contratou a Consist e recebia uma comissão do dinheiro pago pelos aposentados, através um escritório de advocacia.

    O total estimado do desvio é de aproximadamente 100 milhões de reais.

    De grão em grão a galinha enchia o papo!


    Pois é senadora, a casa tá caindo, não é? Caindo não … desabando!

    Planilhas obtidas pela Polícia Federal no computador do advogado Guilherme Gonçalves indicam que, além de despesas pessoais de Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann, o esquema de propina da Consist [que lesou velhinhos aposentados] bancou a campanha da petista ao Senado, em 2010.

    Segundo a PF, 20% do líquido pago pela Consist ao escritório de Guilherme Gonçalves foi repassado mensalmente ao “eleitoral”.



     

    publicidade



    error: Conteúdo protegido !!