Fundo eleitoral é “a corrupção legalizada com o objetivo de assaltar os cofres públicos”

Amanda Nunes Brückner | 07/09/2019 | 7:30 AM | BRASIL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O jurista Modesto Carvalhosa explica porque o FUNDO ELEITORAL é a legalização da corrupção no país.

Sem meia palavras, Carvalhosa foi direto ao ponto.

Confira:

Os políticos profissionais que comandam os corruptos partidos que continuam dominando o Senado e a Câmara, enlameados naquela sórdida aliança do Centrão com o PT e satélites, por não poderem mais viver das bilionárias propinas pagas pelas hoje combalidas empreiteiras, resolveram LEGALIZAR o assalto aos cofres públicos mediante a criação do ignóbil FUNDO ELEITORAL, o famoso Fundo da Vergonha Nacional.

A corrupção não é mais um crime. Agora é LEI.

Por iniciativa da bancada do PT, na vigência do governo Temer, é que foi instituído esse famigerado Fundo Eleitoral para permitir que os partidos “tradicionais” pusessem no bolso dos seus donos R$1,7 bilhão do deficitário orçamento federal, sob o pretexto de cobertura de “despesas” com as eleições gerais de 2018.

Agora, os mesmos canalhas que continuam na Câmara e no Senado não apenas querem repetir a dose para as eleições municipais mas DOBRAR o seu valor para R$3,4 bilhões.

O esquema desses bandidos disfarçados de “representantes do povo” ‘é conhecido.

Os diretórios municipais desses partidos arregimentam dezenas de CANDIDATOS LARANJAS em cada cidade, atribuindo-lhes ficticiamente uma parcela do Fundo Eleitoral, R$100 mil, por exemplo, para as despesas de uma inexistente campanha. Então, o candidato laranja, dos 100 “recebidos”, devolve 90 à legenda, ou seja, entrega diretamente para o bolso dos “dirigentes partidários”.

É assim que funciona o esquema do bilionário assalto aos cofres públicos, como todos nós vimos nas eleições de 2018.

Enquanto isso, há 30 milhões de brasileiros desempregados ou sub-empregados, à mingua de investimentos governamentais em obras e serviços, por conta do monstruoso déficit orçamentário federal e da falência dos Estados e da maioria dos municípios brasileiros.

Não há nenhuma diferença entre aqueles parlamentares e os assaltantes que estouram, nas madrugadas, os caixas eletrônicos nas cidades brasileiras.

São todos delinquentes do mesmo ramo. Só que os “representantes do povo” assaltam BILHÕES, tendo a própria LEI como instrumento, ao passo que as quadrilhas precisam usar dinamite para assaltar, quando muito, um milhão.

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.