Fez aquele alarde todo e agora libera quase tudo?

Foi só o Mandetta sair do governo federal que a coisa mudou de figura …

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, publicou hoje (20) um novo decreto sobre as medidas relacionadas à pandemia do vírus chinês.

Foram liberados [com ressalvas] o funcionamento de salões de beleza, oficinas mecânicas, lavanderias, construção civil e atividades religiosas como cultos e missas.

As aulas nas escolas e visitas a presídios permanecem suspensas.

Caiado, seguindo entendimento do STF, também deu autonomia para que os municípios tomem suas decisões a respeito da eventual flexibilização das medidas de restrição.

O uso de máscaras será obrigatório para todas as pessoas que saírem de casa.

De qualquer maneira, parabéns ao governador Caiado pelo bom senso!


O que abre:

  • Farmácias, clínicas de vacinação e laboratórios de análises clínicas e unidades de saúde, exceto as de cunho exclusivamente estético;
  • Cemitérios e serviços funerários;
  • Supermercados (com proibição de consumo no local);
  • Hospitais e clínicas veterinárias e estabelecimentos que forneçam insumos a essa área;
  • Lojas de produtos agropecuários;
  • Agências bancárias e casas lotéricas;
  • Estabelecimentos que fornecem bens e serviços essenciais à saúde, alimentação e higiene;
  • Indústrias que atuem no fornecimento de insumos à manutenção da saúde humana e animal;
  • Serviços de call center ligados às áreas de alimentação, saúdem, segurança, telecomunicações e de utilidade pública;
  • Atividades de informação e comunicação;
  • Serviços de segurança privada;
  • Empresas de transporte coletivo e privado (incluindo transportadoras e empresas de aplicativos);
  • Empresas de saneamento, energia elétrica e comunicações;
  • Hotéis (ter no máximo 65% da taxa de ocupação e para abrigar prestadores de serviços essenciais ou para para fins de tratamento de saúde);
  • Atividades de extração mineral (medir a temperatura dos funcionários diariamente, liberando os que estiverem com febre);
  • Concessionárias de veículos, oficinas, borracharias e lojas de peças;
  • Estabelecimentos que produzam, exclusivamente, insumos para combate à pandemia;
  • Profissionais liberais, desde que sem atendimento presencial;
  • Feiras livres de hortifrutigranjeiro (vedado consumo no local);
  • Atividades administrativas em instituições de ensino;
  • Assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
  • Construção civil (com horários escalonados para evitar aglomerações, utilizando veículos próprios ou alugados para transportar os funcionários sentados e medindo a temperatura deles diariamente, liberando os que estiverem com febre);
  • Atividades comerciais e prestação de serviço mediante entrega e drive thru;
  • Atividades de conservação de patrimônio e controle de pragas;
  • Atividades de manutenção e insumos necessários ao funcionamento dos serviços públicos e estabelecimentos autorizados a funcionar;
  • Lava jatos e lavanderias;
  • Salões de beleza e barbearias (com apenas 50% de sua capacidade);
  • Empresas de vistoria veicular;
  • Restaurantes e lanchonetes em postos de combustíveis desde que situados às margens de rodovias;
  • Transporte aéreo e rodoviário de cargas e intermunicipal e interestadual de passageiros;
  • Cartórios;

Atividades religiosas (apenas uma ou duas celebrações por semana – dependendo da cidade – medição de temperatura de todos os fiéis, disponibilizar local para higienização das mãos, lotar o máximo de 30% de sua capacidade e proibir o contato físico e a entrada de idosos).

O que fecha:

  • Aulas na rede pública e privada;Bares e boates;
  • Comércio em geral (exceto os citados acima);
  • Eventos públicos e privados, inclusive em áreas comuns de condomínios;
  • Atividades em clubes recreativos e parques aquáticos;
  • Aglomeração de pessoas em parques e praças

 

publicidade