Escândalo do BNDES: Lava Jato é 'fichinha' perto do que virá em janeiro | Diário do Brasil

Escândalo do BNDES: Lava Jato é ‘fichinha’ perto do que virá em janeiro


Na manhã de ontem (08) , o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que está decidido a cumprir suas promessas de campanha e na primeira semana de seu governo abrirá os sigilos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O povo brasileiro irá se deparar com o maior escândalo de corrupção e desvios de recursos públicos já visto no país […] o Petrolão (escândalo da Petrobras) vai parecer ‘coisa de trombadinha’ perto do que ainda está por vir.

Álvaro Dias, senador e ex-candidato à presidência da República, deu uma prévia do que será encontrado nas entranhas do Palácio do Planalto.

“Houve um esquema de corrupção sofisticado e planejado que começou quando o presidente Lula emitiu um decreto alterando o estatuto do BNDES possibilitando esses empréstimos vultuosos aos países vinculados ideologicamente ao governo”



Empréstimos secretos do PT: “R$ 184 bilhões em prejuízos para financiar ditaduras corruptas”

ptendividou


Entre 2008 e 2014, o valor dos contratos firmados entre o BNDES e as empresas beneficiárias chegou ao montante de R$ 716 bilhões

Quem informa é o senador Álvaro Dias, através do site oficial do Senado Federal.

O senador destacou que é assustadora a quantidade de dinheiro retirado do bolso do contribuinte para sustentar as operações do BNDES.

“Para satisfazer grupos econômicos privilegiados e próximos do poder, ou então nações que possuem proximidade ideológica com os que governam o país, o governo destinou bilhões do dinheiro do contribuinte para essas empresas, e a união ainda paga subsídios bilionários para manter esta política.”

É lamentável ver que tantos recursos escoaram em contratos secretos e com taxas de juros camaradas […] vários desses recursos foram destinados a obras em países governados por ditaturas sanguinárias e corruptas.

“A remessa de recursos públicos para ‘supostamente’ ajudar o desenvolvimento acaba por alavancar um sistema de corrupção que chega até outros países, com empreiteiras sendo financiadas para executar obras cujo processo licitatório certamente é duvidoso, instalando propinodutos mundo afora”, afirmou o senador Álvaro Dias.

De acordo com os dados enviados pelo Ministério da Fazenda ao senador, antes da assinatura do decreto, o custo dos subsídios foi de apenas R$ 17 milhões.

A partir da adoção de nova política econômica pelo governo do PT (após a assinatura do decreto) o valor saltou para R$ 4,5 bilhões em subsídios (empréstimos concedidos pelo governo).

Durante o ano de 2010, foram R$ 8,4 bilhões.

Em 2011, o número subiu para R$ 10,5 bilhões […] em 2014, o contribuinte brasileiro pagou R$ 21,2 bilhões para cobrir o rombo da política de empréstimos do BNDES.

Em uma planilha exibida pelo candidato Álvaro Dias, dados apontaram que o Ministério da Fazenda teve um gasto de R$ 22,6 bilhões em 2015, e assim por diante, até chegar, em 2060, a R$ 184 bilhões.



 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram