Em uma única tuitada machista, ele conseguiu humilhar duas mulheres e um morto

04/02/2019

Quando pressupôs que não poderia conquistar a presidência do Senado, Renan preferiu abandonar o barco, fugir, evadir-se, evaporar-se, safar-se … enfim, algo que somente os fracos fazem.

O senador perdeu uma batalha, mas não perdeu a guerra … Renan continua perigosíssimo e afiado.

Criticado pela jornalista Dora Kramer, da Veja, ele decidiu partir para a baixaria e expôs situações íntimas da jovem senhora.

Em uma postagem publicada no twitter (e posteriormente apagada), o senador declarou o seguinte:

Em tempos em que as mulheres são cada vez mais desrespeitadas, agredidas (física e verbalmente), assassinadas, etc … o senador protagoniza um papel degradante, machista, covarde e vil.

Vale destacar que, além de dizer que foi assediado por Dora Kramer, Renan também acusa a jornalista de ter tido um caso com o falecido senador Ramez Tebet, que, para ‘namorá-la’, se utilizou de um membro mecânico.

Ramez Tebet é pai da senadora Simone Tebet (MDB), que enfrentou Renan durante a votação para a presidência do senado.

Usar a memória de um  morto foi a única maneira que o senador encontrou para atingir Simone de maneira covarde e desonesta.

Numa mesma postagem, Renan conseguiu humilhar, ridicularizar, desonrar, diminuir e ultrajar duas mulheres.


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram