Delegado sugere que ‘patrocinador’ de Adélio pode estar envolvido no crime

O deputado (e delegado afastado da Polícia Federal) Fernando Francischini (PSDB-PR) é conhecido nacionalmente por ter prendido dois ícones do crime: o primeiro era o maior traficante do Brasil e o outro era o segundo homem mais perigoso do mundo, segundo o FBI … não vamos citar os nomes dos bandidos, basta dar um google.

Francischini não é qualquer um … ele foi treinado para perseguir criminosos e desvendar farsas, então vale a pena ouvir o que ele tem a dizer.

Em um vídeo divulgado ontem (13), o delegado alerta para a ‘derrapada’ que o advogado de Adélio Bispo (o quase assassino de Bolsonaro) deu durante uma entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, do SBT.

Cabrini perguntou ao advogado se Adélio teria agido sozinho.

A resposta foi a seguinte:

Segundo a orientação … ééé … segundo a afirmação dele (do Adélio), solitário, escoteiro, sozinho”

Francischi nos chama atenção para as palavras “segundo a orientação” ditas pelo advogado, o que significa que Adélio agiu a mando de alguém e foi previamente preparado para esconder o nome do mandante.

E tem mais … o delegado aposta que há uma relação entre o tal homem misterioso que pagou pela defesa de Adélio e o crime:

“Cada vez mais estou convencido de quem contratou está envolvido no crime” disse Francischini.

As palavras do delegado fazem todo sentido … afinal de contas, o criminoso se cercou de 4 advogados num tempo recorde.

Parecia que tudo já estava previamente acertado.

É como se alguém tivesse dito para ele (o Adélio):

“Olha fulano, você vai lá e comete o crime … caso alguma coisa não dê certo, fique tranquilo … nós providenciaremos os melhores advogados, tentaremos convencer a justiça que você é louco e logo, logo você sai da cadeia e ainda ganha uns trocos”

Confira no vídeo abaixo:



compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
WHATSAPP
publicidade


  • error: Conteúdo protegido !!