Delegado da PF denunciou plano de ‘falso atentado’ contra Lula há 3 meses

Há pouco mais de 2 meses, Francischini alertou: “Estão planejando um falso atentado”

No dia 08 de janeiro deste ano, o delegado da Polícia Federal (e deputado) Fernando Francischini fez um alerta nas redes sociais.

Francischini destacou a possibilidade de um falso atentado contra o ex-presidente Lula próximo à data de seu julgamento em Porto Alegre.

Ele destacou que movimentos (MST e MTST) ligados ao partido querem aumentar a vitimização do réu e fortalecer a “narrativa” de que o julgamento de Lula seria uma farsa baseada numa espécie de golpe político.

O delegado também mencionou uma reportagem publicada no jornal O Paraná:

“A reportagem do Jornal O Paraná teve acesso a informações que revelam um elaborado e macabro plano criado por pessoas da alta cúpula petista e que conta com a “mão de obra” dos sem-terra instalados em Quedas [do Iguaçu]. Uma fonte que transita livremente pelos acampamentos [do MST] revelou, em detalhes, que está sendo traçado um falso atentado contra o ex-presidente para aquele dia”.

O Jornal também informou que o serviço de inteligência da Polícia Federal acompanha essas articulações:

“Vítima de um atentado, Lula seria elevado à condição de mártir, tentaria manter sua “honra” inabalada e manteria o discurso de golpe, dando ao PT a chance de colocar outro nome na disputa. “

O delegado-chefe da PF em Cascavel admite a possibilidade de invasões em massa, além de possíveis ataques às torres de transmissão de energia, prática, segundo ele, nada incomum:

“São ações de uma organização que se aproxima de uma organização terrorista.” destacou o delegado.


 

publicidade
error: Conteúdo protegido !!