Chile se posiciona após Trump ameaçar intervir militarmente na Venezuela: “Aqui não!”

O ministro das Relações Exteriores do Chile, Heraldo Muñoz, disse que seu país rejeita a ameaça de intervenção militar na Venezuela após o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmar que não descartaria uma “opção militar” no país latino-americano.

“Reiterando todos os termos da Declaração de Lima sobre a Venezuela, o Governo do Chile rejeita ameaça de intervenção militar na Venezuela” escreveu o chanceler em sua conta no Twitter, se referindo à declaração asinada por representantes de 17 países da região que condenaram a interrupção da ordem democrática na Venezuela devido à convocação da Assembléia Constituinte.

Na última sexta (11) Trump disse que Washington tem várias opções para lidar com a Venezuela, inclusive “a opção militar”:

“Temos tropas em todo o mundo, muito, muito longe” e a Venezuela “não está longe”, disse o presidente norte-americano.

Horas depois, Trump se recusou a ter uma conversa (via telefone) com Nicolás Maduro:

“Quando a Venezuela for uma democracia, talvez possamos conversar” disse.


publicidade


error: Conteúdo protegido !!