Caso Eduardo Bolsonaro foi uma cilada? Jornalista provocou, filmou e depois jogou nas redes sociais

Como não achar que tudo não passou de uma cilada?

Eu, Amanda, não estou querendo defender ninguém, mas olhem o que essa moça fez!

Ela teve tempo de pegar um celular e colocar para filmar outro celular … isso mesmo, ela filmou o diálogo (via mensagens de texto) com Eduardo Bolsonaro e depois divulgou nas redes sociais.

A jornalista (ao menos é o que parece) praticamente provocou Eduardo Bolsonaro e depois filmou a reação dele para espalhar nas redes sociais.

Um detalhe: Ela será candidata a Deputada Federal … estranho né?

Fiz o download do vídeo dela antes que ela apagasse … confira no final da matéria!


O CASO

(Amanda Nunes)

Na denúncia aberta ontem (13) pela PGR contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC), Raquel Dodge detalha a acusação da jornalista Patrícia Lélis (feita com supostas provas através do aplicativo Telegram) afirmando que Eduardo iria acabar com a vida dela e que ela iria se arrepender de ter nascido.

A moça pode ter razão? É claro que sim (os Bolsonaro’s são extremamente machistas, sabemos disso), porém os fatos devem ser analisados calmamente antes que a mídia faça um massacre público.

Basta dar um ‘google’ com as seguintes palavras: patricia lelis indiciada

Estamos em ano de eleição e políticos são extremamente sujos!

Ontem mesmo, o jornal O Globo criou publicou uma matéria dizendo que Jair Bolsonaro estaria internado em um hospital do Exército […] o próprio parlamentar desmentiu a notícia e declarou: “É mais uma fake news criada pelo Globo para me atacar”


Notícia da Folha/SP – setembro de 2016

“Polícia de São Paulo pede prisão de Patrícia Lelis”

A Polícia Civil de São Paulo encerrou o inquérito que investigava a denúncia de sequestro e ameaça contra o assessor do pastor Marco Feliciano […] a prisão preventiva da autora (a estudante de jornalismo Patrícia Lelis, de 22 anos) foi decretada […] de acordo com o delegado, ela cometeu os crimes de denunciação caluniosa, extorsão e falsa comunicação de crime.

Em 5/8/2016, Patrícia denunciou Bauer (o assessor de Feliciano) de mantê-la em cárcere privado e forçá-la a gravar vídeos em que negava a denúncia que havia feito dias antes […] Na época, Patrícia afirmava ter sido vítima de uma tentativa de estupro e agressão por parte de Feliciano.

No dia seguinte, Patrícia denunciou formalmente o parlamentar.

A investigação liderada pelo delegado Luis Roberto Hellmeistaer (3ª DP) concluiu que não havia sequestro, mas sim uma negociação que envolvia o pagamento em dinheiro pelo silêncio de Patrícia.

“Ela representa perigo para a sociedade”, disse o delegado. 



“Recebi documentos com laudo psicológico que diagnosticou a moça como ‘mitomaníaca’. Possui mitomania”, disse ao G1 o delegado Luiz Roberto Hellmeister, titular do 3º Distrito Policial (DP), na Santa Ifigênia, região central da capital paulista. “Ela é mentirosa compulsiva.”



Vídeo divulgado por Patrícia Lélis em seu perfil do Facebook


publicidade

error: Conteúdo protegido !!