Cármen Lúcia passa mensagem ao país: “Meu nome é tumulto e escreve-se na pedra”

“Hoje vivemos uma situação intranquila […] sem capacidade de dar uma resposta de serenidade para as pessoas” declarou a ministra

(Patrícia Carvalho)

Em uma entrevista a Augusto Nunes, apresentador do programa Roda Viva e jornalista da Veja, a digníssima, excelentíssima, ilustríssima, altivíssima, briosíssima, nobríssima, sublimíssima e carí$$ima ministra Cármen Lúcia, decidiu demonstrar todo seu conhecimento literário.

O historiador Marco Antônio Villa também participou do bate-papo e quis saber sobre as pressões que Cármen sofre devido à posição que ocupa na alta Corte.

Ela respondeu (a partir do minuto 1:15):

“Meu nome é tumulto, e escreve-se na pedra.”

Primeiro amor passou, segundo amor passou, terceiro amor passou. Mas o coração continua. (…) À sombra do mundo errado murmuraste um protesto tímido. Mas virão outros.”

Obrigado por nos tranquilizar, prezada presidenta!

Na linguagem popular, ela quis dizer o seguinte:

“Na vida tudo passa, até a uva passa!”


Assista:


leia também:

Filha de ex-ministro do STF alertou: “Cármen Lúcia será a coveira do STF”


 

publicidade

error: Conteúdo protegido !!