Cadela emociona o país ao passar a noite em velório com sua falecida dona | Diário do Brasil

Cadela emociona o país ao passar a noite em velório com sua falecida dona


O escritor Anatole France (1844/1924) disse certa vez: “Enquanto você não tiver amado um animal, parte de sua alma estará adormecida”

A história de dona Telma e a cadela Belinha resumem um amor além da vida.

Vítima de um câncer, Telma Maria Pereira de Andrade, 53 anos, faleceu na última semana, em Teresina (PI).

Uma foto tirada pelo filho Dionísio durante o velório mostra que o amor entre um ser humano e um cão pode permanecer, mesmo após a morte.

Aos 4 anos de idade, Belinha acompanhou parte do tratamento de sua dona durante seus últimos anos de vida.

“O tratamento durou seis anos e a cadela foi uma companheira a quem minha mãe chamava de ‘sua enfermeira’. Todo dia a Belinha ficava sentada com ela e quando ia para fora de casa. As duas ‘conversavam’ e brincavam”, disse Dionísio Neto, filho de dona Telma.

Ele conta que a cadela passou a noite inteira no velório, como se estivesse despedindo.

“A Belinha acompanhou todo o velório. Em alguns momentos ficava em pé ao lado do caixão; em outros, deitava embaixo. E como um anjo ela passou a noite toda ao seu lado.  A gente viu ali o amor incondicional que acredito ser um anjo. Agora ela sempre acompanha as rezas em casa e senta na cadeira durante o terço.” relatou.



 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram