Bolsonaro possui informações sigilosas sobre espiões cubanos que atuavam no governo Dilma


Ministério da Defesa proibiu que Bolsonaro divulgasse as informações

Durante a última década, Jair Bolsonaro foi o único parlamentar que pediu informações detalhadas sobre viagens e encontros suspeitos que ocorreram entre membros do alto escalão do GOVERNO DILMA e agentes de países aliados da esquerda, como CUBA e Venezuela.

Um encontro (em particular) entre Dilma Rousseff e um agente do ex-presidente do Uruguai, José Mujica, além de viagens secretas de membros do governo brasileiro levaram Bolsonaro a discursar no plenário da Câmara sobre a necessidade de uma investigação sobre “o que de tão secreto ocorria entre DILMA e seus aliados estrangeiros.”

“No livro que Mujica escreveu, ele diz que Dilma usava espiões cubanos e venezuelanos para tomar decisões no país … Marco Aurélio Garcia (ex-assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais) mandou um avião da FAB para o URUGUAI e trouxe o preposto de MUJICA, que sentou-se à mesa com Dilma Roussef … Ela teria fornecido para ele fotos, gravações e relatórios de espiões venezuelanos e cubanos … esse elemento retornou para o Uruguai com a avião da FAB … ” disse Bolsonaro.

O requerimento de Bolsonaro foi respondido durante o governo TEMER e junto foi enviada uma advertência determinando que se ele se ‘calasse’ sobre o assunto e não divulgasse os documentos.

“Algumas informações nesse sentido vieram à tona com a publicação da obra “Una Oveja Negra al Poder”, dos jornalistas Andrés Danza e Ernesto Tulbovitz, em que revelações do ex-presidente uruguaio José Mujica acresceram tópicos que envolvem diretamente a Presidente Dilma Rousseff, a qual teria utilizado informações fornecidas por espiões cubanos e venezuelanos … ”

“Cientifique-se o Deputado, nos termos dos arts. 21, caput, e 28, IV, § 1º, I, e § 2º, do Ato da Mesa n. 45/2012, da responsabilidade legal pela manutenção do sigilo dos documentos sigilosos de que tomar conhecimento.”

“Ofício nº 15329/ASPAR/GM-MD. Ministério da Defesa. Encaminhamento de informações solicitadas pelo Deputado Jair Bolsonaro por meio do RIC nº 1.784/2016. Documentos sigilosos. Dê-se vista da documentação sigilosa encaminhada pelo Ministério da Defesa, sem extração de cópias, nos termos do art. 98, § 5º, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados …”



Em 2016, a sociedade foi amplamente informada sobre a existência do requerimento de Jair Bolsonaro , de suas suspeitas e da solicitação das explicações, porém até hoje não sabemos o que havia nesses documentos.

Por que o sigilo? O que ocorreu de errado no governo Dilma?

Se Bolsonaro chegar à Presidência, ele divulgará esse dossiê?



(link do requerimento no site da Câmara)

compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
whatsapp
publicidade


  • error: Conteúdo protegido !!