Bolsonaro e Mourão no mesmo voo é 'erro' grostesco de segurança | Diário do Brasil

Bolsonaro e Mourão no mesmo voo é ‘erro’ grostesco de segurança


(Patrícia Carvalho para o Diário do Brasil)

Bolsonaro já sofreu um atentado político … isso é fato […] e escapou por providência divina.

Essa ‘conversa’ de que o criminoso Adélio é um lobo solitário será desmascarada, cedo ou tarde.

Pois bem …

Risco de novo atentado – parte 01

Duas semanas antes das eleições presidenciais, o general Augusto Heleno (futuro ministro da Defesa) justificou a ausência do então candidato nos debates na televisão pelo risco de atentado terrorista:

“O comparecimento ao debate, que muita gente está vinculando ao medo de sair ou debater com Haddad. Não se trata disso. Ele está realmente ameaçado. E não é 1 mero tipo de sniper. É 1 atentado terrorista, onde tem uma organização criminosa envolvida, que eu não vou citar o nome por motivos óbvios”, afirma Heleno em vídeo que circulou nesta 4ª feira (24.out.2018)”


Risco de novo atentado – parte 02

Ontem (05), o general Sérgio Etchegoyen, atual Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança da Presidência, declarou para o Estadão:

“O GSI não comenta detalhes de sua responsabilidade com a segurança presidencial, mas confirma que existem ameaças que efetivamente preocupam”.

Etchegoyen também disse que Bolsonaro terá um esquema especial de segurança que o Planalto jamais presenciou:

“O esquema que está sendo preparado para receber um presidente que já sofreu um atentado será muito diferente e muito mais severo do que qualquer outro”


Dando ‘mole’ – parte 01

(Agência Brasil) Na manhã de hoje (06), o presidente eleito embarcou (pouco depois das 7h na Base Aérea do Galeão) em um avião da Força Aérea Brasileira.

Bolsonaro, seu vice (general Hamilton Mourão) e Paulo Guedes (futuro ministro da Economia) voaram rumo à capital federal.

Como é que as tais equipes de segurança (sabendo dos altos riscos de um atentado) colocam o presidente e o vice em um mesmo voo?

Se, por acaso, algo acontecesse com esse avião, sabem o que aconteceria?

Novas eleições … e tem muita gente interessada nisso.



Dando ‘mole’ – parte 02

Ao desembarcar em Brasília, um comboio de seguranças (incluindo policiais militares e federais) seguiram em carreata para o Congresso.

A PF fez o seguinte (imagem acima) … disponibilizou 3 veículos iguais (Mitsubishi Pajero) blindados (com vidros escuros) sendo que Bolsonaro estava em um deles.

Essa tática, que também é usada em vários países, dificulta a identificação do carro em que está o presidente.

Um bandido, em caso de um suposto ataque ao comboio, não saberia qual veículo atacar … correto? ERRADO

Durante todo o trajeto, um helicóptero da Globo News acompanhou o comboio e transmitiu as imagens ao vivo para todo o país.

A surpresa ficou por conta do veículo 2 … ao passar por quebra-molas, ele simplesmente diminuía a velocidade … os veículos 1 e 3 passavam direto pelos redutores.

Esse simples fato serviu para identificar em qual carro Bolsonaro estava […] o presidente não pode sofrer movimentos bruscos (por conta da bolsa de colostomia) … por consequência, ele estaria no veículo 2.

Qual não foi a nossa surpresa ao conferir que, ao chegar no Congresso, Bolsonaro estava realmente no veículo de número 2.

Se eu (Patrícia, a blogueira) consegui fazer essa análise, imaginem só um grupo terrorista organizado.

Não queremos ensinar o beabá da segurança para a PF, que é uma das instituições mais confiáveis deste país, mas que eles deram mole … isso não tem dúvidas.


 

compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
WHATSAPP