Banco promove exposição com obras baseadas em pedofilia e zoofilia

(Amanda Nunes Brückner)

O Santander Cultural, um Centro mantido pelo Banco Santander, em Porto Alegre, sofreu diversas críticas nas redes sociais nos últimos dias.

A mostra Queermuseu, com aproximadamente 270 obras de (suposta) arte davam ênfase à pedofilia, à pornografia, além de distorcer temas religiosos e promover afrontas à população.

Internautas se revoltaram e ameaçaram até um possível boicote de contas bancárias na instituição.

A grande mídia, que na sua maior parte recebe patrocínio do banco, se calou e ainda defendeu a exposição alegando que obras de nomes renomados internacionalmente como Alfredo Volpi e Cândido estavam presentes.

Ahhh… alegaram também a tal ‘diversidade’.

Quer dizer que pedofilia e zoofilia são conceitos de diversidade?

Mídia hipócrita. Diversidade é uma coisa, Sodoma e Gomorra é outra totalmente diferente.

Deu pra entender, caro internauta? A mídia nojenta desse país se calou porque recebe milhões e milhões de patrocínio.

A Revista Veja chegou a culpar o MBL pelo cancelamento da exposição.

Não Revista Veja! O MBL pode ter suas mazelas com a política brasileira, mas nesse caso em específico, eles estavam com 100% de razão!

O grupo dos Marinho sequer deu destaque à suposta exposição de arte!

Vale destacar que este é um projeto desenvolvido pela Lei de Incentivo à Cultura, com apoio do Ministério da Cultura e Governo Federal, ou seja, dinheiro dos brasileiros pagadores de impostos.

Uma atitude louvável do banco […] do banco, não da mídia!

Pressionado, o banco Santander emitiu uma nota oficial e decidiu encerrar a mostra, percebendo que algumas obras desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas.

Parabéns ao banco pela atitude digna e pelo reconhecimento do erro.

Confira a nota na íntegra:


O Canal Terça Livre divulgou o vídeo abaixo. Assista e tire suas próprias conclusões:


 

compartilhe esse post:
RSS
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
whatsapp
publicidade


  • error: Conteúdo protegido !!