Adélio ‘escorregou’ em depoimento e pode ter dado pista importante para a PF

Amanda Nunes Brückner | 14/09/2018 | 12:00 AM | BRASIL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Nós quem?

(Aline Sanches | de Curitiba para o Diário do Brasil)

Adélio, o criminoso, é formado em pedagogia … ele se expressa em nosso idioma de maneira quase que perfeita.

Suas palavras são ‘escolhidas a dedo’ e raramente ele comete um erro de concordância em suas frases.

Durante uma parte do depoimento, ele diz o seguinte para a juíza:

“Digamos assim … eu não saberia expressar, mas o fato ocorreu … houve um ferimento, correto? … embora pretendíamos … pelo menos dar uma resposta, um susto, alguma coisa dessa natureza, entendeu?

Repare na frase acima que Adélio disse embora pretendíamos ao invés de dizer embora eu pretendia.

Ele se expressou na primeira pessoa do plural: Nós pretendíamos. 

Nós quem, caro Adélio?

Vale ressaltar que, durante toda a audiência, essa foi a única vez que Adélio usou a primeira pessoa do plural para explicar o atentado.

Ou seja, ele’ escorregou no tomate’ e acabou fazendo uma confissão involuntária.



Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.