Veja como vivem os políticos na Suécia! É disso que nossos parlamentares precisam: VERGONHA NA CARA

politicosnasuecia

A Suécia é uma das nações mais igualitárias do mundo. A OTI  (Organização Transparência Internacional) informa que trata-se de um dos países menos corruptos do planeta

Vereadores e deputados estaduais não recebem salários, não possuem carros com motoristas e devem usar os seus próprios celulares.

publicidade

Ahhh. eles não têm secretárias particulares e uma ‘penca’ de assessores parlamentares.

O prefeito da Capital anda de ônibus.

Primeiro-ministro? Esse circula de metrô ou de bicicleta.

Deputados federais?

Moram em apartamentos funcionais de 16 metros a 46 metros quadrados, lavam e passam as suas próprias roupas.

Sem mordomias

Na Suécia, os políticos ganham pouco, andam de ônibus e de bicicleta. Fazem a própria comida, lavam e passam as suas roupas e não são tratados como “excelência”, mas de “você.

Figurões moram em habitações humildes. O primeiro-ministro lava a sua própria xícara de café e pode ter o seu salário e seus e-mails vasculhados pelos cidadãos.

Madames (esposas de políticos) não vão às compras em carros oficiais!

Ministros e secretários não viajam de jatinhos ou hospedam-se em hotéis de luxo com dinheiro do erário público e, muito menos com dinheiro de empresas.

O mandato político não confere “título de nobreza”

Juízes e promotores não possuem salários estratosféricos, adicionais, penduricalhos para burlarem a legislação. Eles também não têm secretárias particulares e as assessorias são coletivas.

O rei já perdeu todos os seus poderes, insiste. A sua presença é apenas simbólica, observa a jornalista e consultora radicada no país

Um deputado federal ganha apenas 50% a mais do que recebe um professor da rede primária de ensino.

Habitações simplórias

Os seus apartamentos funcionais lembram quartos de hotéis de duas estrelas.

Os seus gabinetes são diminutos. Os vereadores e deputados regionais sequer possuem gabinetes.

O atual chanceler  empurra, como um cidadão comum, os seus carrinhos de compras em supermercados e o prefeito de Estocolmo, capital da Suécia, vai para o fim da fila de ônibus quando chega no ponto.

Não existe empregada doméstica. Diaristas são espécie rara!

Sem residência oficial

Nem ministros, nem prefeitos e nem o presidente do Parlamento têm direito à residência oficial!

As lavanderias dos deputados federais tanto no parlamento quanto nos apartamentos funcionais são comunitárias.

Eles precisam agendar para lavarem as suas roupas.

Uma quitinete parlamentar abriga um sofá-cama, uma mesa, um pequeno armário, uma minicopa com um fogão de uma boca apenas, um frigobar e um banheiro.

O parlamento tem uma lavanderia e uma creche, para atender crianças de um a 13 anos de idade. Os moradores de Estocolmo não têm direito a apartamento funcional.

Familiares e namoradas devem pagar ao erário pelos dias de pernoite no apartamento funcional.

(Informações do livro de Claudia Wallin – Um País Sem Excelências e Mordomias (2015), Geração Editorial)

publicidade