Sismógrafos captam dois tremores de terra na Coreia do Norte


O primeiro tremor foi sentido próximo à capital Pyongyang, onde o ditador Kim Jong-un e seus aliados mais próximos vivem.

Medindo 2.6 na escala Richter, o terremoto poderia ser uma indicação de mais um teste de mísseis – apesar da condenação mundial.

O epicentro ocorreu sentido sudoeste da capital – local que não ainda não havia sido usado para lançamento de mísseis.

Um segundo tremor atingiu, depois de algumas horas, o mesmo local e mediu 2,5 na escala Richter.

O meteorologista Kim Sung-han, radicado em Seul, Coreia do Sul, relatou os terremotos pelo Twitter e afirmou que o primeiro ocorreu às 9h21 da manhã (horário local) .

O segundo ocorreu cerca de cinco horas depois.

“Muitas vezes os terremotos são indicações de atividade de mísseis no reino de Kim Jong-un […] os testes subterrâneos regularmente são captados pelos sismógrafos” disse o meteorologista.

“No entanto, terremotos e tremores também ocorrem naturalmente na região. Um terremoto de magnitude 3.1 ocorreu em março do ano passado” afirmou o sul-coreano.

Hoje é o Dia da Libertação Nacional no Norte, marcando a vitória da Coreia sobre o Japão na Segunda Guerra Mundial e Kim Jong-un costuma ‘marcar’ suas datas comemorativas com lançamentos de mísseis.


 

publicidade