Toffoli revoga prisão de Paulo Bernardo e alega “flagrante constrangimento ilegal”

toffolirevoga

O ministro do Supremo, Dias Toffoli revogou a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, marido da senadora petista Gleisi Hoffmann

No despacho, o ministro Dias Toffoli alegou que houve “constrangimento ilegal” e determinou que a Justiça Federal em São Paulo fixe medidas cautelares.

publicidade

A defesa de PB alegou que a prisão dele era ilegal e que o ex-ministro não tinha envolvimento com as irregularidades identificadas no Ministério do Planejamento.

Toffoli também considerou ilegítimo o argumento de que Paulo Bernardo deveria permanecer preso por não ter sido encontrada a ‘suposta’ propina movimentada no esquema de corrupção.

O MPF apontou o marido de Gleisi como um dos principais beneficiados do esquema de propina que teria desviado R$ 100 milhões dos funcionários públicos federais [leia-se velhinhos aposentados] que fizeram empréstimos consignados.

Será que é por esse motivo que todos os bandidos políticos querem ser julgados pelo STF?

publicidade