Diário do Brasil

STF arquiva investigações contra Aécio. Caso prescreveu em 2016

Edson Fachin, ministro relator da Lava Jato no  STF, ordenou que se arquivem as investigações contra Aécio Neves (PSDB/MG)

O PGR (Rodrigo Janot) recomendou que a transgressão atribuída ao senador prescreveu!

Simples assim. Traduzindo em miúdos: Ficou engavetada nas ‘escrivaninhas’ da PGR e a União perdeu o prazo para julgá-lo.

Aécio foi citado pelo ex-senador Sérgio Machado como beneficiário de dinheiro ilegal no período de 1998 a 2000, época em que exercia mandato de deputado federal.

Na delação, o parlamentar foi acusado de ter recebido R$ 1 milhão.

Edson Fachin confirmou que o ‘suposto’ crime de corrupção prescreveu. Aécio só poderia receber uma possível punição até o ano passado (2016).

recebeu R$ 1 milhão. O plano, de acordo com Machado, era eleger o maior número possível de deputados federais para viabilizar a condução de Aécio à presidência da Câmara em 2000.

O OUTRO LADO

O senador classificou as declarações de Machado como “caluniosas e covardes” e disse que o delator mentiu com a intenção de ‘apagar’ seus crimes para obter benefícios na delação premiada.

LIVRE, MAS NEM TANTO

O caso acima é relativo à Transpetro, uma subsidiária da Petrobras.

Aécio ainda consta na lista de Janot e será investigado no STF por conta das delações da Odebrecht.


publicidade


error: Conteúdo protegido !!