Revista Sociedade Militar defende Intervenção Constitucional: “Bandidos fazem Leis para julgar juízes.”

No último dia 1, a revista Sociedade Militar publicou um artigo que nos chamou a atenção

A matéria começa com uma frase inteligentíssima e cita a atual situação pela qual o país está passando:

“… o Brasil conseguiu a proeza de fazer com que os urubus que voam mais baixo façam suas necessidades fisiológicas sobre os urubus que voam mais alto.”

O texto também aborda o Projeto das 10 medidas contra à corrupção, que foi totalmente desfigurado durante uma votação vergonhosa ocorrida na calada da noite na Câmara dos Deputados.

“O tiro saiu pela culatra e o tão esperado combate à corrupção passou a ser um instrumento pró-corrupção”

O que mais fomentou nossa curiosidade foi o último parágrafo da abordagem feita pelo colunista (leia com atenção):

“Cabe uma abordagem sobre a conveniência do Poder Judiciário entrar em acordo com o Poder Militar para, em ação conjunta, fazerem uso do disposto no artigo 142 da Constituição, procedendo com uma intervenção constitucional com o fim específico de destituir das suas funções todos os integrantes do Congresso Nacional (Câmara e Senado) e até o próprio Presidente  da República.”

Todas as condições para que esse fato ocorra estão presentes (destaca o texto)

O Poder Legislativo está tentando mutilar o Poder Judiciário com as medidas que estão em curso, sendo requerida imediata intervenção  militar para coibir tais abusos que estão ocorrendo com a conivência do Presidente da República.

O art. 142 da Constituição Federal diz que as Forças Armadas se destinam à defesa da Pátria e à garantia dos Poderes Constitucionais.

Por expressa disposição constitucional, o Poder Judiciário tem poder para tomar a iniciativa da intervenção, acionando as Forças Armadas para defesa da  LEI e da ORDEM.

As próprias Forças Armadas também podem fazer o mesmo, possuindo plena autonomia para intervir na DEFESA DA PÁTRIA e na GARANTIA DOS PODERES CONSTITUCIONAIS.

(leia o texto completo de Sérgio Alves de Oliveira via Sociedade Militar)

publicidade