Sobre assédio, roteirista da Globo diz: “… se denunciar todos, não sobra pedra sobre pedra”

(Amanda Nunes Brückner)

Após a denúncia de assédio contra o ator José Mayer, uma funcionária da TV Globo (roteirista do programa de Marcelo Adnet) fez uma postagem polêmica em seu perfil na rede social.

Usando a hashtag #meuprimeiroassédionotrabalho, Alessandra Colasanti (que também á atriz) falou sobre o assédio no meio artístico.

“… se rolasse uma campanha falando sobre o primeiro assédio, não ia sobrar pedra sobre pedra […] fui assediada tanto no teatro quanto na Globo. Quem nunca?”, escreveu.

Entre suas experiências de assédio, ela contou algumas:

“Um diretor falou que ia beijar minha b***ta no meio de uma gravação”

“Outro também me beijou na boca sem consentimento”

“Até perdi até a conta.”

“Nossa, como você está uma delícia, hein?”

A atriz e roteirista conta que os assédios começaram a diminuir quando ela começou a envelhecer.

Será que essa moça acha normal o assédio para conquistar um carreira?

É claro que sabemos que esse tipo de situação ocorre em várias empresas, mas considerar o assédio como algo habitual é contribuir para que isso nunca acabe.

Se ela optou por ‘engolir sapos’ para alcançar seus objetivos profissionais, o problema é dela […] agora, varrer a sujeira para debaixo do tapete é muita hipocrisia!

Que não sobre ‘pedra sobre pedra‘ (como ela mesma disse acima) … que todos sejam denunciados … que as empresas fechem e os responsáveis sejam punidos exemplarmente!


publicidade


error: Conteúdo protegido !!