Shrek, Peppa Pig, MC Guimê e José Dirceu. Essa é a Lei Rouanet, incentivando a ‘curtura’

ptcultura

A famosa LEI ROUANET foi criada durante o governo Collor e mais tarde ficaria conhecida pelo nome do Secretário da Cultura à época, Sérgio Paulo Rouanet

Amanhã (24) será apresentado na Câmara dos Deputados um requerimento para a abertura da CPI da Lei Rouanet.

publicidade

Através de renúncia fiscal, empresas públicas e privadas e pessoas físicas podem patrocinar projetos culturais e receberem o valor em forma de desconto no imposto de renda.

Resumindo, os cofres públicos deixam de receber parte daquele dinheiro em troca de um patrocínio cultural, uma forma de “terceirizar” um repasse de recursos federais.

No primeiro governo Dilma, 3% das propostas levaram 50% dos incentivos, um cenário que só contribui para a concentração cultural do país, enquanto pouco incentiva projetos menores.

A maior parte dos ‘incentivos’ dessa LEI está concentrada nas mãos de meia dúzia de pseudo artistas […] que na verdade são [quer dizer ERAM] usados como massa de manobra pelo PT.

Veja alguns exemplos de onde o dinheiro público foi aplicado durante o governo Dilma:

1. Filme Brizola, tempos de luta e exposição Um brasileiro chamado Brizola (2006)

Valor: R$ 1.886.800,38

2. Peppa Pig (2014)

Valor: R$ 1.772.320,00

3. Shrek: musical e turnê (2011 e 2012)

Valor: R$ 17.878.740,00

4. Cirque Du Soleil (2005)

Valor: R$ 9.400.450,00

5. Turnê Luan Santana (2014)

Valor: R$ 4.143.325,00

6. Turnê Detonautas (2013)

Valor: 1.086.214,40

7. Shows Cláudia Leitte (2013)

Valor: R$ 5.883.100,00

8. Blog O mundo precisa de poesia, de Maria Bethânia (2011)

Valor: R$ 1.356.858,00

9. Gravação do DVD de MC Guimê (2015)

Valor: R$ 516.550,00

10. Documentário O vilão da República, sobre a vida de José Dirceu (2013)

Valor: R$ 1.526.536,35

 

publicidade