Revista VEJA bate no peito e não arrega: “Toffoli foi citado sim! Tivemos acesso ao documento e lemos o anexo”

vejamantém

A Revista Veja deu uma resposta ao Procurador Geral da República, Rodrigo Janot

Sobre a citação do ministro Dias Toffoli (STF)  na delação de Léo Pinheiro (ex-presidente da OAS) , a reportagem da revista publicou:

publicidade

A VEJA mantém tudo o que foi publicado na edição que está nas bancas

“Janot diz que a informação não pode ter sido vazada porque o anexo da delação não “ingressou” no Ministério Público. O termo remete a uma entrega formal de delação, quando se faz um protocolo e demais formalidades.”

“A revista informou que a proposta de delação da qual faz parte o anexo sobre Dias Toffoli fora “apresentada recentemente à PGR e ainda não fora aprovada ou formalizada. Estava em negociação.”

“A reportagem de VEJA informa ao leitor que a delação era uma “proposta de delação” e que ainda não fora nem homologada. Dizer que o anexo não “ingressou” no Ministério Público é o truque retórico para negar a existência do anexo sobre Dias Toffoli.”

“Ele existe, sim, e seus termos estão – ou estavam, até agora – sob negociação.”

“A reportagem de VEJA teve acesso ao anexo da delação em que Léo Pinheiro mencionou o nome de Dias Toffoli. A expressão “ter acesso” significa que os repórteres de VEJA viram e leram o anexo. E apuraram que os termos do anexo estavam em discussão na proposta de delação de Léo Pinheiro.” 


Em entrevista publicada ontem (23) , o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que não houve vazamento algum e culpou a revista:

“Ou se trata de um fato que o jornal ou o meio de comunicação (no caso a Revista Veja) decidiu por bem publicar ou se trata de um fato que alguém vendeu como sendo verdadeiro a este meio de comunicação” disse Janot.

publicidade