Reunião no gabinete de Dilma tem gritaria e desespero. Ordem agora é macular a imagem de Delcídio

dilmaquerida

Após a bomba lançada por Delcídio Amaral, que já não faz mais parte do PT, uma reunião de emergência foi marcada no gabinete presidencial

Diante da PGR, Delcídio citou vários nomes, inclusive o da “alma mais honesta do país”, o ex-presidenteLula e da própria presidente Dilma.

publicidade

As ordens para a “cúpula de puxa-sacos governamentais” agora são claras:

Primeiro: para tentar pressionar Teori Zavascki para não homologar a delação premiada de Delcídio Amaral. Se a delação for homologada, o governo implode.

Segundo: Desqualificar a pessoa de Delcídio do Amaral, alegando que ele agiu de modo vingativo por ter sido abandonado na cadeia;

Quem irá se pronunciar mais tarde será o Ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, já que a presidente ainda não aprendeu a se “comunicar” muito bem.

 

 

publicidade