Professor de medicina é preso por crime de racismo

Herbert Monteiro da Silva, professor de medicina na UFMT e médico cardiologista, foi preso na última semana por crime de racismo

Aos 63 anos, ele foi detido em flagrante no prédio onde mora, em Cuiabá, Mato Grosso.

O síndico Wagner Ferretti (que á advogado) informou que uma discussão entre o professor e o porteiro começou por causa de um controle remoto da garagem.

O dr. Herbert estaria sem seu controle e se irritou porque o porteiro demorou para abrir manualmente a garagem do prédio.

Ele xingou o porteiro de “preto safado e vagabundo”.

Além do síndico, outros moradores também foram chamados para testemunhar a cena.

Todos se posicionaram a favor do porteiro.

A norma do condomínio prevê que cada morador é obrigado a utilizar seu próprio controle da garagem, o que não obriga o porteiro a deixar a guarita para abrir o portão manualmente, exceto em casos de emergência.

Quando a PM chegou para registrar o crime de racismo, o médico se trancou em seu apartamento e teria se recusado a abrir a porta.

A PM arrombou a porta, entrou no local e o prendeu em flagrante.

Na delegacia, o  professor pagou fiança de R$ 5 mil e responderá o crime em liberdade.

A DEFESA

A advogada do médico alegou que seu cliente sofreu abuso de autoridade e disse que “a PM cometeu uma atrocidade sem precedentes. Não existe na norma jurídica que justifique a polícia entrar na casa de alguém sem mandado e sem ordem judicial”, criticou.

Ela também afirmou que o flagrante foi forjado e que a imprensa foi avisada antes mesmo dela chegar ao local.

O médico disse que não houve racismo, mas “apenas uma discussão mais acalorada”.


(G1 Mato Grosso)

publicidade


error: Conteúdo protegido !!