Polícia da Nova Zelândia atira em cão farejador porque ele estava ‘estressado’ e ‘angustiado’

O cachorro, que fazia parte da corporação policial, foi ‘assassinado’ porque estava atrapalhando as decolagens

O caso aconteceu hoje (17) no aeroporto de Auckland, na Nova Zelândia.

Cerca de 16 voos nacionais e internacionais tiveram que ser adiados por questões de segurança.

Grizz era um cachorro da raça perdigueiro alemão de apenas 10 meses de idade.

Ele estava sendo treinado pela polícia para farejar explosivos.

As exigências do treinamento sobrecarregaram o cão, que escapou dos policiais e fugiu pelas dependências do aeroporto.

Durante quase 3 horas ele perambulou pelas pistas e não permitiu que ninguém chegasse perto.

A polícia, com absoluta falta de destreza e excesso de estupidez, decidiu atirar no animal.

Lisa Mulitalo, porta-voz do aeroporto de Auckland, relatou que “o cão estava claramente angustiado e os oficiais tomaram a decisão de sacrificá-lo”.

O porta-voz do Serviço de Segurança da Aviação da Nova Zelândia, Mike Richards, disse:

“Foi um esforço tremendo. Tentamos de tudo: comida, brinquedos, outros cães, mas nada funcionou. Ele não deixava ninguém chegar perto”

Então os oficiais do aeroporto ordenaram à polícia que atirasse no Grizz e o mataram.

Um repórter da BBC questionou o porta-voz do aeroporto sobre o uso de tranquilizantes e teve a seguinte resposta:

“Não tínhamos armas com tranquilizantes no local e a polícia também não as tinha”.

 

publicidade


error: Conteúdo protegido !!