Pesquisadores da Suécia descobrem método para identificar câncer com uma única gota de sangue

testecancer

No estudo, foram identificadas quase todas as formas de câncer, provando que as biópsias à base de sangue têm um imenso potencial para melhorar a detecção precoce do câncer

Por Bruno Rizzato

publicidade

Até hoje, para identificar o câncer em pacientes, são necessários testes e exames invasivos, como biópsias cirúrgicas. Um novo método, envolvendo apenas uma picada de agulha no dedo, poderá ajudar na identificação da doença.

Pesquisadores da Universidade de Umeå, na Suécia, desenvolveram um novo teste de RNA de plaquetas, capaz de detectar, classificar e identificar a localização do câncer no organismo analisando uma única gota de sangue.

Temos estudado como um novo método à base de biópsia por análise do sangue pode ser utilizado para detectar o câncer, tornando desnecessário, no futuro, um método invasivo para colher amostra de tecido celular no diagnóstico de câncer do pulmão, por exemplo. Detectar o câncer em uma fase precoce é vital. ”, disse Jonas Nilsson, pesquisador de câncer da Universidade de Umeå e coautor do estudo.

A técnica ainda não é 100% precisa, mas representa uma grande promessa para a medicina. Pesquisadores utilizaram um método de teste RNA baseado em amostra sanguínea, que lhes permitiu identificar o câncer com 96% de precisão.

Os investigadores tomaram amostras de sangue de 283 indivíduos. Entre este grupo, 228 pessoas tiveram algum tipo de câncer, enquanto as outras 55 pessoas não mostraram nenhuma evidência da doença.

Ao analisar e comparar perfis de RNA nas amostras de sangue, os pesquisadores foram capazes de identificar o câncer entre os pacientes com níveis variados de sucesso. Em 39 pacientes onde o câncer foi detectado de forma antecipada, eles foram capazes de identificar e classificar o câncer com precisão de 100 por cento.

Os cientistas identificaram a origem de tumores com uma precisão insuperável de 71% em pacientes com câncer diagnosticado no pulmão, mama, pâncreas, cérebro, fígado, cólon e reto.

Os autores do estudo não estão sugerindo que este tipo de método de “biópsia líquida” possa substituir outros sistemas de detecção de câncer, mas se a técnica for refinada, ela poderia ser um grande avanço para médicos e pacientes, concluiu Nilsson.

fonte:Jornal da Ciência

publicidade