Pastor que anda de Ferrari se pronuncia: “O carro não é meu, mas profetiza que eu recebo”

O apóstolo Agenor Duque, dono da Igreja Plenitude do Trono de Deus, faz seus cultos vestido de mendigo

O autointitulado ‘salvador’ aparece com uma túnica feita de saco de estopa e tenta passar a ideia de pobreza e humildade.

Duque tem vinte igrejas em São Paulo, Rio, Minas, Goiás, Distrito Federal e Amazonas, além de programas de TV e rádio.

Segundo a Revista Época, o pastor é o emergente da vez.

Duque já passou pela Igreja Universal e Mundial e teve como professores ninguém menos que Edir Macedo e Valdemiro Santiago.

O pastor também foi o responsável pela conversão da ex-senadora Marina Silva.

O apóstolo e seus pastores não se constrangem em pedir o 13º e pasmem, até o FGTS dos fiéis.

“Precisa ser um sacrifício grande, algo que dói! Limpa a carteira! Raspa a carteira! Ou faz como uma mulher no culto desta manhã, que doou o próprio carro.”



FORA DOS PALCOS

Do lado de fora da igreja, o pastor se transforma.

Ele se locomove de Porsche, de Ferrari e até um jatinho, diz a revista.

No dia-a-dia, se veste com a grife Hugo Boss, usa cordões, anéis, relógios dourados e tênis Nike.

O doutor em ciências Paulo Romeiro deu sua opinião: “A igreja neopentecostal brasileira é cega, infantilizada, cheia de picaretas e cambalacheiros.”

O vídeo abaixo mostra Agenor ao lado de uma Ferrari:



A PALAVRA DO PASTOR: O CARRO NÃO É MEU, MAS PROFETIZA QUE EU RECEBO!

Agenor divulgou um vídeo na internet dizendo que tudo não passa de calúnia e difamação.

“Eu dei uma volta em uma Ferrari de um amigo meu […] o carro não é meu, se fosse meu eu falaria” disse



 

publicidade