Temer diz que massacre em Manaus foi ‘acidente pavoroso’. O governo dele também!

Michel Temer afirmou nesta quinta-feira (05) que o massacre ocorrido no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, foi um “acidente pavoroso”.

Não Temer, não foi pavoroso. Os presos quiseram se matar.

Eram pessoas que, se tivessem a chance de sair e cometer novos crimes hediondos, certamente cometeriam […] sem dó nem piedade.

Já o Ministro Alexandre de Moraes disse que a matança de Manaus é culpa da superlotação causada pela quantidade de presos provisórios.

Disse o Ministro da Justiça:

“Nós prendemos muito, mas prendemos mal. Prendemos quantitativamente, mas não qualitativamente”, afirmou.

O que será que ele quis dizer?

Sabemos que o judiciário brasileiro é lento […] praticamente uma ‘lesma’ para julgar os crimes.

Será que o governo deve soltar esses presos provisórios enquanto aguarda uma resposta do judiciário?

Ou será que daqui pra frente precisamos orientar nossas polícias a prender ‘qualitativamente’ !

Esse governo é um acidente pavoroso.

Qual a solução?

Simples: Uma reforma corajosa e radical no Código de Processo Penal Brasileiro.

Temos que dobrar as penas dos crimes mais simples.

Temos que instituir prisões perpétuas para crimes hediondos.

Temos (porque não) que avaliar a possibilidade de pena de morte.

Ninguém tem coragem de tocar na ferida!

 

publicidade