O dia em que o ‘muso’ do FORA TEMER expulsou uma repórter que o questionou sobre a Lei Rouanet

bolsadende

Há alguns anos, o cantor Caetano Veloso se irritou com a colunista Mônica Bérgamo (do jornal Folha de S.Paulo) após um show

A própria jornalista informou (em sua coluna) que foi convidada a se retirar do camarim do cantor após uma discordância de opiniões sobre a famosa ‘Lei Rouanet’.

publicidade

O cantor teria concedido uma entrevista para a revista Cult afirmando que nunca havia pensado na LEI pelo ponto de vista de incentivo da música popular.

‘Sempre considerei o negócio da música muito bem-sucedido no Brasil. Não parecia precisar de incentivos maiores do que os que já tinha. A área que me vem à mente logo que se fala em Lei Rouanet é a do cinema’, disse Caetano.

Na época, produtores de Caetano teriam apresentado (no entanto) um projeto para captar R$ 2 milhões para a turnê do novo álbum do cantor, ‘Zii e Zie’, de acordo com informação da Folha.

A captação foi negada. A comissão entendeu (na época) que o projeto era comercialmente viável e não precisaria do incentivo.

A EXPULSÃO

Abaixo o diálogo, que foi gravado e reproduzido pela coluna de Mônica Bérgamo:

REPÓRTER- Estão me expulsando daqui [meia hora depois do fim do show, a assessoria do cantor pediu à coluna que saísse do camarim]. Deixa eu fazer uma pergunta. 

CAETANO VELOSO – Você disse que tinha duas. Faça logo que a gente se livra. Se eu souber a resposta.

REPÓRTER – Sobre a história da Lei Rouanet. Você deu uma entrevista para a revista ‘Cult’ falando que pensava na Lei Rouanet mais para o cinema e não para a música.

CAETANO – É, naquela altura, foi o que eu disse na entrevista. É isso mesmo.

REPÓRTER – Mas você acha que hoje a música popular precisa de incentivo?

CAETANO – Não, não acho, continuo pensando a mesma coisa. É aquilo que eu disse. A Folha já me entrevistou sobre isso. Eu mandei uma resposta bem clara. Eu conversei com o ministro [Juca Ferreira]. Eu mandei por e-mail essa entrevista [o e-mail de Caetano é o seguinte: ‘Não. Não há nenhum estremecimento entre mim e o ministro [Juca]. Ele foi assistir ao meu show em Brasília e conversamos bastante’].

REPÓRTER – E a tua opinião mudou? Era isso que eu queria entender.

CAETANO – Não, não mudou. Por que mudaria?

REPÓRTER – Porque hoje você acha que a música precisa de incentivo…

CAETANO – Quem disse que eu acho? Por que você tá me dizendo o que eu acho?

REPÓRTER – Porque o seu projeto está inscrito para [captar dinheiro pela Lei Rouanet]…

CAETANO- [interrompendo] Não, isso é outra coisa. Os projetos são todos inscritos. Entendeu? Eu não acho isso. Eu acho o que eu disse. Tá? 

REPÓRTER – Tá bom.

CAETANO – Pode ir embora.

REPÓRTER- Tá bom. Tô indo.

CAETANO – Vá logo.

REPÓRTER – Tá bom.

CAETANO- Mas vá logo.

REPÓRTER – Tô indo, Caetano. Boa noite.

CAETANO- Boa noite.

A assessoria de Caetano informou que o cantor não se incomodou com o tema da conversa e sim com a forma de abordagem.

‘O cantor não gosta de receber repórteres para entrevistas no camarim em dias de estreias de seus shows’ informaram.

publicidade